GPSGAY chega ao Brasil focando em produtos e serviços friendly

Comportamento, Social
9 de abril de 2015
por Genilson Coutinho

gps

Chega ao Brasil o aplicativo uruguaio GPSGAY, rede social voltada para a comunidade LGBT e, como diz o nome, com todos os benefícios de um GPS – tanto para conhecer pessoas quanto para localização de produtos e serviços gay friendly. Além disso, combina a funcionalidade de algumas das principais plataformas web como Facebook, Foursquare, Amazon, Booking e YouTube.

O GPSGAY acaba de ganhar o prêmio de melhor App escolhido pelo público na Mobile Premiere Award, em março, em Barcelona (Espanha), uma das mais importantes premiações de tecnologia do mundo. Antes disso, já tinha sido contemplado com o título de Melhor App do Uruguai na AppCircus.

Por meio dele, os usuários podem fazer amigos através da rede social, identificar outros usuários no mapa da cidade com recursos de geolocalização, encontrar hotéis, restaurantes, bares, boates etc. Os locais podem ser classificados, de forma colaborativa, pelos próprios usuários, o que permite formar um ranking de usuários da própria comunidade. No calendário de eventos ainda vão constar, além de festas e eventos, manifestações da comunidade como as Marchas do Orgulho Gay.

Também são disponibilizados, tanto pelo celular quanto pelo site, filmes, séries, notícias, artigos, todos com a ênfase na temática LGBT. O aplicativo (App) é gratuito e compatível com iPhone e Android.

Sem pegação

Embora existam várias aplicações para a comunidade LGBT, a maioria volta-se especificamente para encontros sexuais (principalmente o público masculino gay). O GPSGAY não pretende competir com este tipo de produto. Ao contrário, a plataforma foi desenvolvida buscando atender a outras necessidades mais voltadas ao bem-estar e estilo de vida, diferenciando-se pela qualidade e quantidade de conteúdos, constantemente avaliados pelos próprios usuários.

O GPSGAY teve início em setembro de 2013 como um projeto beta fechado para 5 mil usuários. Passada a fase de testes, já chegou a mais de 150 mil usuários registrados na América Latina, principalmente no México, Colômbia, Venezuela e Argentina.