GGB vai entrar com representação criminal contra Isidório

Comportamento, Social
5 de maio de 2016
por Genilson Coutinho

“Isidório acusa secretário de Educação de querer ‘implantar viadagem’ nas escolas”.

O Grupo Gay da Bahia, essa semana, vai entrar com representação criminal contra o deputado Sargento Isidório, representando a comunidade LGBT, considerando que as declarações do deputado, desde 2015, são caluniosas, e estimulam a homo, lesbo e transfobia, contra cerca de 10% da população da Bahia, formada por esse segmento. A entidade constituiu o advogado Rogério Mattos, criminalista, para entrar com a representação criminal junto ao Ministério Público.

Ninguém suporta mais essa baderna do Deputado Sargento Isidório, ninguém aguenta mais esse tipo baixo de parlamentar, que usa do nosso imposto para promover uma verdadeira campanha caluniosa contra os LGBTs, pessoas, e até mesmo instituições. É preciso adequar a postura desse deputado a Casa Legislativa da Bahia. O deputado mente, escamoteia os fatos em seu interesse pessoal. Utiliza da calúnia e da difamação a um segmento da população para se promover junto ao seu eleitorado ignorante, que necessita informações sobre gênero e orientação sexual.

O deputado, quando prega a exclusão do gênero no Plano de Educação, incentiva que um gênero é superior ao outro e legitima a exploração do gênero feminino e a violência contra LGBTs na escola e no restante da sociedade. Não podemos conviver com esse tipo de político na atualidade, não devemos permitir que recursos públicos, adquiridos por meio de convênios, sejam destinados à manutenção de atividades sociais, mas que de alguma forma estes recursos possam contribuir para a mobilidade de pessoas, usuárias, ou não, em ações que estimulem o ódio, o  preconceito, estigmas e discriminações. No dia 4 de maio, na votação do Plano Estadual de Educação, o refrido deputado recrutou cerca de uma centena de internos da Fundação Dr. Jesus para ocupar as galerias da Assembleia Legislativa, impedindo que o movimento social se expressasse dentro da ordem e do direito constitucional.