GGB É PATRIMÔNIO IMATERIAL DOS HOMOSSEXUAIS, DIZ PRESIDENTE MARCELO

Sem categoria
30 de junho de 2011
por Genilson Coutinho

O Palácio Rio Branco foi palco de mais um ato de afirmação da garantia da cidadania e respeito aos direitos humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT). Foi realizada na terça (28) a cerimônia de lançamento do Boletim do Grupo Gay da Bahia (GGB). A publicação é fruto da parceria do GGB com a Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH).

Esteve presente na cerimônia o secretário da SJCDH, Almiro Sena, o decano do Movimento Homossexual Brasileiro e editor do Boletim do GGB, Luiz Mott, o deputado estadual e presidente da Comissão de Promoção da Igualdade da Assembleia Legislativa, Bira Coroa, o presidente do GGB, Marcelo Cerqueira, o presidente do Comitê LGBT da Bahia, Danillo Bitencourt,além de pesquisadores e ativistas do movimento LGBT baiano.

O presidente do GGB, Marcelo Cerqueira, reforçou a importância do lançamento do Boletim acontecer no Palácio Rio Branco. “Esse foi um local dominado pela aristocracia, e estarmos aqui é uma conquista” lembrou. Marcelo ainda lembrou a trajetória do GGB, narrando lutas históricas do movimento na luta contra a homofobia. “O GGB é um patrimônio imaterial dos homossexuais” afirmou.

O editor do Boletim GGB, Luiz Mott, chamou a atenção para o conteúdo da obra, que traz registros de matérias jornalísticas com mensagens de incentivo à violência contra homossexuais, além de relatar as ações desenvolvidas pelo GGB como, por exemplo, a contribuição prestada na luta contra a aíds com a distribuição gratuita de mais de 3 milhões de preservativos. Mott ainda ressaltou o apoio do Governo do Estado e se mostrou feliz com a abertura do diálogo que faltou em outros governos.

O secretário Almiro Sena declarou que tem o respaldo do governador Jaques Wagner para realizar as atividades de promoção da cidadania LGBT. Almiro Sena ainda ressaltou a importância didática do Boletim GGB. “O livro é muito esclarecedor, ele é rico em mensagens e informação importante na luta histórica e corajosa do movimento LGBT”, declarou.

Boletim do GGB

O boletim do GGB é a mais antiga e duradoura publicação homossexual da história do Brasil, com publicações registradas entre 1981 e 2005. Obra que mantém viva a memória do ativismo do GGB na Bahia. Durante vinte e cinco anos, foram publicadas 47 edições com mais de 700 páginas que resgatam os principais fatos, tendências e sucesso do movimento homossexual brasileiro da época.

Fonte: Grupo Dignidade

Foto: Reprodução