Gays contam como é ser amante de um homem casado com uma mulher

Comportamento, Social
25 de agosto de 2014
por Genilson Coutinho

gay

A polêmica relação a três da novela “Império” é muito mais comum do que o público pode imaginar. O personagem Cláudio (José Mayer) mantém um caso gay com o jovem Leonardo (Klebber Toledo), mesmo tendo um casamento estabelecido e feliz há mais de 20 anos com Beatriz (Suzy Rêgo). Assim como na ficção, muitos maridos em casamentos heterossexuais buscam prazer com homens fora de casa, seja para satisfazer um desejo ou para matar uma curiosidade. Na maioria das vezes, porém, a mulher não faz ideia do que está acontecendo e os amantes gays são obrigados a viver se escondendo e a manter tudo em segredo.

jose

Há 3 meses saindo com um homem casado, Rafael Lemos*, de 25 anos, conta que sua experiência é bem parecida com a de Leonardo. Ele se limita a estar com o namorado apenas em lugares privados e longe dos olhos dos curiosos, e a relação é controlada pelo outro. “Ele vem para São Paulo de duas a três vezes no mês e sempre fala: ‘Você só me manda mensagem quando eu te mandar primeiro. Fora isso, não me manda nada’”, conta.

Mesmo tendo que manter a relação escondida, Rafael não se arrepende de ter se envolvido. “Você tem que colocar na cabeça que a pessoa é compromissada e que não pode esperar mais nada, só o prazer. Tem que manter a mente aberta e saber que não vai poder sair com ela no final de semana, não vai poder viajar junto, etc.” Esta não é a primeira vez que ele sai com um homem casado – antes deste já houve vários. “Isso faz mais parte do cotidiano do que as pessoas pensam”, garante.

Para o psicólogo especialista em relações homoafetivas Klecius Borges, essa situação é comum porque há muitos homens, bi ou gays, casados com mulheres e que desejam ou precisam, por algum motivo, manter o casamento sem abrir mão de sua sexualidade. “E muitos gays que acreditam que é possível se envolver emocionalmente com esses homens, na expectativa de que o amor será suficiente para superar essa limitação”, observa.

Quem também já viveu essa situação mais de uma vez é Raul Paiva. Na primeira, aos 18 anos, um homem casado o abordou para pedir seu telefone durante uma tarde no clube. “A gente saiu umas quatro vezes e ele chegou a me levar para a casa dele enquanto a mulher e os filhos estavam no shopping. Foi bem tenso. Bem pesado”, diz. “Eu sempre ficava com frio na barriga de circular com ele e ser visto por algum conhecido dele. Mas nunca foi pela exposição, porque se a mulher descobrisse o problema seria do marido e não meu.”

Diferente do que acontece na novela, em que Beatriz sempre foi cúmplice do marido e não está alheia ao relacionamento de Cláudio e Leonardo, as esposas dos homens que têm casos gays podem nem desconfiar do que está acontecendo.

Foi assim com Tiago*, de 20 anos, que teve uma relação com um homem comprometido sem que a mulher soubesse. “De primeira, eu fiquei me sentindo um pouco culpado. Os meus pais se separaram por uma coisa parecida, então eu pensava: ‘Sou eu que estou estragando a relação dos dois’. Mas, logo depois, eu vi que não. Foi uma coisa que eu fiz e gostei. Dá até aquela adrenalina mesmo de poder ser descoberto”, comenta ele.

Segundo o psicólogo, antes de julgar quem está no papel de amante, é preciso lembrar que existem gays e heteros que gostam de ter uma vida com mais liberdade e autonomia. Alguns relacionamentos com homens casados podem atender a esse desejo e permitir a vivência de algo amoroso e sexual sem as amarras das relações tradicionais.

Rafael, por exemplo, enxerga que o seu relacionamento com o homem comprometido o deixa livre para conhecer outras pessoas e ter novas experiências. “Eu sempre deixo claro não sou 100% dele. Estou aberto a outras expectativas”, conta.

Para quem está interessado em viver um caso com um homem casado, Raul aconselha: “Tem que evitar o contato mais de uma vez. Se você mantiver isso, pode acabar gostando e isso não é legal, porque o cara não vai mudar a vida dele para ficar com você. E, mesmo que mude, você não sabe o preço que isso vai custar”.

*Os nomes foram trocados para garantir o anonimato dos entrevistados

Do Igay