Gamboa Nova traz programação musical, cinema e teatro no mês de outubro

Teatro
29 de setembro de 2014
por Genilson Coutinho

iamii

Em outubro de 2014, o Teatro Gamboa Nova recebe espetáculos do circuito Fiac – Festival Internacional de Artes Cênicas, a partir do dia 24, além da temporada de estreia em Salvador do novo solo de Iami Rebouças, “Ulteridades”.

Também uma programação que inclui o público infantil, com os bonecos de André Mello em “O Rei que Não Ria” e o colorido da exposição “Café de Todo Jeito” com as ilustrações da paulista Kelly Alonso Braga, mais o Festivalzinho CineGamboa com quatro curtas diversificando a programação.

Na música o Re Trate, da performer Lia Lordelo, acompanhada da apresentação de Eduardo Luedy. George Lunna em seu novo show “Disritmia” e Tícia Britto com “Uma Cartola de Canções”.

TEATRO

Estreia em Salvador do solo Ulteridades de Iami Rebouças

A grande pesquisadora e atriz Iami Rebouças volta aos palcos baianos no Teatro Gamboa Nova, sextas e sábados de outubro, 20h, com seu solo Ulteridades, presenteando o público soteropolitano com apresentações a preços populares de R$ 10,00 e R$ 5,00.  Depois de passar uma temporada fora do país, mergulhada em seu processo de investigação que resulta no solo, a artista retorna trazendo em cena o tema da alteridade, num trabalho inteligente, instigante, ousado e inovador que completa o sucesso do seu solo anterior Umbiguidades.

 

Serviço

Estreia do Solo Ulteridades, de Iami Rebouças

Quando: 03, 04, 10, 11, 17 e 18/10/14 (sextas e sábados)

Horário: 20h

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia).

Classificação: livre

Informações: www.teatrogamboanova.com.br  https://www.youtube.com/channel/UCLs2SC_4HgjPCDTHkAj-6Lw

Contatos: 3329 2418 /  91912695 (Iami)

 

Fiac ocupa também o Teatro Gamboa Nova

O Festival internacional de Artes Cênicas da Bahia (FIAC) chega à sua sétima edição e volta a movimentar a agenda cultural da cidade com espetáculos e atividades de formação e reflexão, envolvendo artistas, pesquisadores e profissionais das artes cênicas. A extensa programação artística contempla trabalho de diversos países e estados brasileiros, que dialogam com a produção local, oferecendo ao público um recorte representativo das opções estéticas de encenadores e grupos que atuam nas áreas de teatro, dança, circo, performance e intervenção urbana.

Serviço

Fiac

Quando: 24 de outubro a 02 de novembro

Horário: a ser confirmado

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 16 (inteira) R$ 8 (meia).

Classificação: Livre

O Rei que Não Ria é opção com teatro de bonecos para crianças      

Em cartaz no Teatro Gamboa Nova aos sábados e domingos de outubro, 16h, o espetáculo de bonecos infanto-juvenil O Rei que Não Ria, trata com muito humor a questão do `bullying’, identidade e proibições, temas tão comuns no cotidiano no período de formação humana. Os ingressos são a preços populares R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia) e a peça é voltaada para crianças acima de seis anos.

Desde ‘príncipezinho’,  Bernardo tinha seus problemas com risadas, isto é, riam dele. Caçoavam dele em tudo, davam-lhe nomes, excluíam-no atoa e riam dele ao longe. Isto o deixava furioso e triste, mas ele cresceu e se tornou rei e desde este dia tudo mudou no reino. Como novo rei seu primeiro ato foi proibir a graça em todo reino, criando seu lema pessoal “Reino Rico é Reino Sério”, mas será que pode o Rei Bernardo manter o riso escondido de todos para todo sempre?

Assim se desenvolve a história contata pelo artista, cercado por seus criativos bonecos. Mello é multi-artista da Chapada Diamantina Bahia, viveu entre 1998 e 2010 em Amsterdam na Holanda, onde se graduou Bacharel em Artes visuais e especialista em direção de arte para cinema e teatro pela Gerrit Rietveld Academie. Trabalhou por vários anos ao lado de grandes nomes da Dança, bonecos e teatro, como Duda Paiva Company ( Holanda, Slovenia, Noruega, Polonia ) José Besprosvany ( Belgica, França) , Zouzou Circus Theater ( Holanda, Alemanha, índia) Teatro Munganga (Holanda), entre outros. No Brasil, em Rio de Contas, desenvolveu espetáculos conhecidos como “Riacho das Flores” (2011), “As aventuras de Zé Tripa” ( 2012) e “Um Peixe Fora dÁgua” (2013). Paralelamente, assina alguns projetos de cenografia para teatro e dança na cidade de São Paulo- SP, entre eles  “Objeto Gritante” (2011) e “Nigredo” ( 2012) de Mauricio de Oliveira & Siameses, “Boca de Ouro” ( 2012 ) Direção de Flávia Pucci/ Grupo Prole e “Corpo Esgotado” ( 2014) Grupo do Miolo.

Serviço

Quando: 04, 05, 11, 12, 18 e 19/10/14 (sábados e domingos)

Horário: 16h

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia)

Classificação do espetáculo: 6 anos

Ficha Técnica:

Criação Bonecos e cenário: André Mello

Manipulação e Vozes: André Mello, Aishá Roriz

Música: Clara Elisa Miranda , João Espinheira, Gabriel Campos

MÚSICA

Projeto une RE TRATE de Lia Lordelo com Eduardo Luedy

O Teatro Gamboa Nova recebe nas quintas do mês de outubro, às 20h, o projeto RE TRATE – com a performer Lia Lordelo – em companhia da apresentação musical de Eduardo Luedy. Uma dobradinha de shows que promete unir a experiência cênica e sonora da artista com a vasta influência do músico, passeando por diferentes pesquisas.

RE TRATE, originalmente concebido por Lia, o estilista Alexandre Guimarães e o artista gráfico Vicente Queiroz, é fruto do projeto ENTRE: encontros que funcionam como diálogos multimídias em diferentes espaços da cidade, por meio de linguagens artísticas como a performance, a moda, a fotografia ou vídeo. Já participaram com Lia nestes mergulhos os músicos Livia Nery, Maurício Pedrão e Ronei Jorge, quando a intérprete relê o álbum Índia, de Gal Costa.

Eduardo Luedy foi integrante da banda de rock Flores do Mal, que surgiu na cidade de Savador em meados década de oitenta, surpreendendo o cenário do rock soteropolitano ao misturá-lo com suas influências advindas do samba, baião, literatura e poesia. Durante os anos 90 e início dos anos 2000, ele co-produziu o disco de Paquito, acompanhou Jussara Silveira, Tony Lopes, Moisés Santana, Álvaro Lemos e Riachão.

Depois de um hiato sem se apresentar como músico, quando dedicou-se ao ensino e pesquisa em Música, Luedy agora retorna aos palcos reunindo e apresentando pela primeira vez em show solo, parte das canções que compôs ao longo de todos estes anos. “O que Pode Ser” (já gravada anteriormente por Jussara Silveira e por Paquito), “Cantiga”, “Pra mim” (gravada por Vânia Abreu), são algumas das canções que serão apresentadas.

 

Serviço

Re Trate Lia Lordelo + Eduardo Luedy

Quando: 02, 09, 16 e 23/10/14 (quintas)

Horário: 20h

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Classificação: Livre

Ficha Técnica Re Trate:

Interpretação e concepção: Lia Lordelo

Arranjos, teclado e programação: Lívia Nery

Bateria: Maurício Pedrão

Concepção: Ronei Jorge

Roupa-objeto: Alexandre Guimarães

Ficha Técnica Eduardo Luedy:

Voz e concepção: Eduardo Luedy

Guitarra e baixo: Heitor Dantas

Voz e samplers: Livia Nery

Bateria: Maurício Pedrão

Cartola Duo Brasil apresenta o show Uma Cartola de Canções

O grupo Cartola Duo Brasil inicia suas atividades musicais inspirado nas composições do Mestre Cartola, o Angenor de Oliveira. Entretanto, desenvolve em seu processo criativo um trabalho aprofundado de pesquisa, resgate e manutenção das músicas dos anos 1930 aos 1970, focado no cancioneiro popular brasileiro. É com esta concepção que o show Uma Cartola de Canções chega ao Teatro Gamboa Nova, em duas únicas apresentações, 01 e 08, quartas, às 20h.

Da cartola poética e metafórica, a tentativa é renovar vínculos poéticos da boa música brasileira, através das releituras de canções de artistas de primeira grandeza como Cartola, Noel Rosa, Zé Keti, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Dolores Duran e outros grandes da música do Brasil e do mundo. Sempre pautados na seriedade da pesquisa que realizam e na escolha apurada do repertório que executam, os artistas “passeiam” pela música popular, mostrando a riqueza do repertório do samba e da música brasileira.

Tícia Britto e Beto Batinga vêm se apresentando há três anos para plateias da Espanha e Portugal, onde residiam. O concerto em músicas e palavras “Eu e Ela;Ela e Eu” foi apresentado em bares, tascas, restaurantes e teatros. Agora os dois se apresentam em Salvador com um time de músicos talentosos que dão nova cor e poesia ao Cartola duo Brasil. No repertório o melhor do samba, bolero, tango, blues brasileiro e bossa nova.

Cantora, licenciada em música pela Universidade Católica do Salvador, Tícia é também dançarina, licenciada pela Universidade Federal da Bahia e pela Faculdade de Motricidade Humana de Lisboa. Mestranda em Artes Performativas, Teatro/ Música pela Escola Superior de Teatro e Cinema (IPL, Portugal) com pesquisa direcionada ao Fado e ao Samba. Batinga é músico há 34 anos, professor licenciado em música pela Universidade Católica do Salvador.

 

Serviço

Show Uma Cartola de Canções

Quando: 01 e 08/10/14 (quartas)

Horário: 20h

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Ficha Técnica:

Voz e direção artística: Tícia Britto

Direção musical, Violão de 7 cordas e Guitarra elétrica: Beto Batinga

Violão de 6 Cordas: Ricardo Cathala

Bandolim: Jackson Dantas

Percussão: Saulo Di T’ácio Tupinambá

Flauta: Rodrigo Sestrem

Participação especial: Daniel Velloso, Violão de 7 Cordas

Iluminação: Cíntia Sadoyama e Nícolas Fernandes.

 

Disritmia marca o retorno de George Lunna ao Gamboa Nova

Show apresentado pelo cantor e compositor George Lunna, onde explora sons experimentais e ritmos da música popular, Disritmia marca o retorno do artista ao palco do Gamboa Nova, nas Quartas Musicais do teatro em outubro, dias 15 e 22, às 20h. Ingressos R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).

Misturando ritmos como a bossa, samba, rock e outros, o repertório traz canções autorais do seu mais recente trabalho e algumas releituras do cenário nacional, com letras engajadas, lírico-poéticas e músicas experimentais.

Cantor, compositor e poeta, desde a adolescência Lunna participa de festivais de música e poesia e seu trabalho ganha projeção em Salvador e São Paulo, além de atingir públicos pelo interior da Bahia, Aracajú. Brasília e Goiás. Seus CDs autorais como Criação, que produz e dirige, misturam bossa, rock, jazz, samba, ijexá, música experimental e outros, mostrando a criatividade do artista.

Já participaram de suas gravações diversos músicos do cenário brasileiro como Jurandir Santana, Ivan Bastos, Márcio Dhiniz, Ricardo Barata, Adelmo Casé e músicos da Orquestra Rumpilezz como Guiga Scott, Gilmar Santos e André Becker.

Recentemente apresentou outra edição da temporada de seu show Híbrido, em teatros de várias cidades do Brasil, mantendo seu formato experimental. Criou, apresentou e dirigiu um pocket show em São Paulo, intitulado Artebilizar, onde mistura Artes Plásticas, Poesia, Contação de Histórias, Performance e Música, sendo bastante reconhecido pela qualidade de seu trabalho. Atualmente, em paralelo com Disritmia, apresenta-se no Kabul, em São Paulo.

 

Serviço

Show Disritmia

Quando: 15 e 22/10/14 (quartas)

Horário: 20h

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: R$ 20 (inteira) R$ 10 (meia).

Classificação: Livre

Ficha Técnica:

Voz/violão: George Lunna

Guitarra: Ricardo Barata

Bateria: Cássio Brasil

Baixo: Fabinho

Fotografia: Paula Kalantã

Produção: Quênia Carvalho

CINEMA

Festivalzinho CineGamboa exibe quatro curtas sobre a infância

Com curtas exibidos antes das apresentações, o CineGamboa inova em outubro trazendo quatro diferentes filmes que tem relação direta com o universo infantil. O valor desta atração já está incluso nos ingressos para as apresentações e a cada dia da semana o público poderá acompanhar um curta diferente.

Entre os participantes estão O Reino do Chocolate, de Rafael Jardim, uma animação colorida produzida em 2011, que conta a história de um planeta onde pessoas de cores diferentes não podem se misturar. Detalhe, a animação é feita com chocolate e em stop-motion.

Os curtas Pequeno e Meninos com direção de Ernesto Molinero e roteiro de Paula Gomes, da Plano 3 filmes, narram respectivamente a história de um pequeno maltrapilho que embarca numa divertida jornada para conseguir um pedaço de melancia e o desafio de um garoto, que no caminho entre sua sala de aula e o banheiro da escola, vai vencendo alguns de seus medos e preconceitos da infância.

Além de É proibido menino calçado entrar na escola, com roteiro e direção de Edson Bastos e Henrique Filho, que recebeu o prêmio de Melhor Filme Prêmio ABCV – Festival V Minutos 2014. Baseado em fatos reais o curta apresenta uma história sobre a evasão de alunos de uma escola, por conta de um pé calçado.

 

Serviço:

Festivalzinho CineGamboa

Quando: de 01 a 31/10//14 (quarta a domingo)

Horario: antes dos espetáculos com autorização prévia das produções

Onde: Teatro Gamboa Nova – Largo dos Aflitos, Centro.

Valor: incluso no valor dos espetáculos

Fichas Técnicas:

O Reino do Chocolate

Direção, roteiro, produção, fotografia, arte e edição: Rafael Jardim

Narração: Julia Centurião

Música: Daniel de Lucca

Pequeno / Meninos

Produção: Plano 3 Filmes

Direção: Ernesto Molinero

Roteiro e Produção Executiva: Paula Gomes

Direção de Arte: Marcos Bautista

Direção de Fotografia: Haroldo Borges

É proibido menino calçado entrar na escola

Elenco: Casa do menor e Casa da menor

Roteiro e Direção: Edson Bastos e Henrique Filho

Produção Executiva e Direção de produção: Edson Bastos

Assistente de Produção: Cristiane Santana

Direção de Arte: Ayam Ubráis

Direção de Fotografia: Henrique Filho

Som direto: Victor Aziz

Trilha Sonora: Ayam Ubráis, Ismera Rock e Marcel Hohlenwerger

Programação Visual: Kaula Cordier

Montagem: Henrique Filho

EXPOSIÇÃO

 

Paulista Kelly Alonso Braga brinca com o cotidiano em Café de Todo Jeito

As obras da exposição Café de Todo Jeito, em cartaz na Galeria Jayme Fygura do Teatro Gamboa Nova, a partir do dia 01 de outubro, retratam de forma descontraída o café que está sempre presente no cotidiano brasileiro e é, principalmente, uma paixão paulistana, onde a ilustradora Kelly Alonso Braga reside.

A ideia é lançar um olhar imaginativo deste que se torna um ponto de encontro, uma referencia de afeto e alegria e em muitos casos de solitude. “Quem não gosta de tomar uma xícara de café acompanhado apenas por um bom livro?” – brinca Kelly, que completa: “Com certeza esses elementos fizeram com que o café se expandisse tanto. O  café caseiro da manhã se estendeu para as padarias, os cafés noturnos, os cinemas e as próprias livrarias que associam a arte com café”.

Os quadros coloridos são feitos com técnica mistas (acrílica, pastel, colagens e jornal), em papel cartão ou papel Paraná, sendo cerca de 20 ilustrações que podem também ser adquiridas pelos interessados.

Escritora e Ilustradora, Kelly nasceu em Santos e é também atriz com formação em cinema. Como roteirista, ganhou o prêmio Diretor Estreante do MINC 2010 com o filme O Banheiro do Km 45 e, além de roteiros, é autora de peças e livros infanto juvenis, universo que também inspira suas ilustrações. Entre os livros que escreveu e ilustrou a serem publicados estão A patinha de Ruakem e A história do Comprido, ambos pela editora Motirô de Ieda Alcântara.

 

Serviço:

Exposição Café de Todo Jeito

Quando: 01 a 31/10/14 (quarta a domingo)

Onde: Galeria Jayme Fygura do Teatro Gamboa Nova

Horario: 16h às 20h (qua a sab), das 14h às 16h (domingo)

Classificação: Livre

Ficha-técnica

Artista e realizadora: Kelly Alonso Braga

Apoio local: Amarílio Sales