Fórum Baiano convoca a população para participar do Ato Contra Homofobia na Barra

Sem categoria
23 de abril de 2012
por Genilson Coutinho

O Fórum Baiano organizará como abertura para o V Seminário do Fórum, um Ato Contra a Homofobia na quarta-feira (25), às 15 horas. A manifestação acontecerá no Farol da Barra e seguirá até o Porto, o evento contará com a presença de lideranças das Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do interior do Estado, da capital e personalidades da luta pelos Direitos Humanos no Brasil.

Esta manifestação na Bahia integra-se ao conjunto de atividades preparatórias para a 3ª Marcha Nacional Contra a Homofobia que acontecerá em Brasília no dia 16 de maio de 2012 e terá como tema: “Juntos Pela Criminalização da Homofobia e por Uma Educação Sem Homotransfobia”.

O Fórum Baiano LGBT convoca as suas 54 entidades afiliadas para mais uma vez exercer o direito de ir às ruas e denunciar este estado de insegurança, violência e silenciamento que as cidadãs e cidadãos LGBT da Bahia tem vivenciado. Lembrando da importância de que todos participem deste movimento, seja homossexual ou não. Esta é uma luta de todos aqueles que compreendem o amor entre pessoas do mesmo sexo como uma manifestação da diversidade humana, legitima, saudável e cidadã e por isso merece respeito.

CASOS QUE NÃO PODEMOS ESQUECER:

No dia 09/04/2011, um julgamento sumário abalou a comunidade LGBT da Bahia: um policial militar mal treinado decretou a sentença e matou um gay, a queima roupa, após ter sido informado de uma “orgia” na Estação Mussurunga.

Em 20/01/2012, o GGB anunciava a tragédia de 2012: “Dos 20 casos notificados no País durante os primeiros 20 dias de janeiro, seis aconteceram no Estado nordestino – quatro deles na capital Salvador, segundo informação do Grupo Gay da Bahia (GGB).”

Um ano e quatro dias depois do massacre da Estação Mussurunga (até hoje sem resolução), no dia 13/03/2012, um casal de gays descia do ônibus de mãos dadas na Estação Pirajá, eles foram abordados por seis homens, brutalmente espancados e apesar de ter sido notícia nos noticiários do Brasil e da Bahia, esse fato parece já ter caído no esquecimento.