‘Foi um ato de terror e ódio’, diz Obama sobre ataque com 50 mortos em boate gay

Notícias
12 de junho de 2016
por Genilson Coutinho

Obama fala sobre ataque (Foto: reprodução/Reuters)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um comunicado sobre o ataque que deixou 50 mortos na boate gay de Orlando na madrugada deste domingo (12). “Sabemos o suficiente para afirmar que este foi um ato de terror e de ódio”, disse.

Obama revelou  que conversou com o prefeito de Orlando e lhe ofereceu condolências e ajuda. “Este é um dia triste para a comunidade LGBT”, afirmou. “O local que foi atacado era mais do que um nightclube, era um local de solidariedade e empoderamento.”

O ataque ocorreu por volta das 2h (3h no horário de Brasília) na boate Pulse (veja a crononologia ao fim da reportagem). Quando a polícia chegou ao local, houve troca de tiros do lado de fora e o atirador voltou para dentro e fez reféns por algumas horas. Além das 50 mortes, 53 pessoas ficaram feridas.

O suspeito portava um fuzil AR-15 e uma arma de pequeno porte, além de um “dispositivo” não identificado. Ele morreu durante a troca de tiros com a polícia.

A polícia ainda não divulgou oficialmente o nome do suspeito, mas a própria família dele já deu entrevistas à mídia americana. Omar Saddiqui Mateen era filho de imigrantes afegãos e era muçulmano. Ele deixa um filho.

Uma conta no Twitter de um grupo afiliado ao Estado Islâmico (EI) postou uma foto que seria dele, mas não reivindicou oficialmente o ataque. A NBC afirma que Mateen ligou para a emergência (911) antes do ataque jurando fidelidade ao EI.

A polícia investiga e tenta identificar os corpos das vítimas. Não há até o momento registro de brasileiros entre as vítimas.