No Circuito

Teatro

Festival celebra a diversidade nas artes no Pelourinho

Genilson Coutinho,
06/02/2019 | 09h02

A diversidade étnica, sexual e de gênero e a luta contra o preconceito serão a tônica das últimas apresentações do Festival Kan Merin, que segue levando arte para a Casa 14, no Pelourinho. Valorizando a produção cultural independente da Bahia, o Festival ainda reserva ao público peças teatrais, shows musicais e um baile de carnaval para encerrar a maratona de espetáculos apresentados nesta primeira edição.

Todas as apresentações possuem ingressos a preços populares de R$20,00 ou R$10,00 (meia e lista amiga). A programação está disponível no endereço: https://web.facebook.com/festivalkanmerin/

Nesta quarta e quinta, 6 e 7/07, 19h, o espetáculo Tibiras, investiga as brasilidades existentes no país, tomando como ponto de partida a trajetória de vida de Tibira, tupinambá assassinado em praça pública em São Luís do Maranhão em 1614. O crime, que marcou a história do Brasil, é considerado como o primeiro assassinato lgbtfóbico registrado no período colonial do país.
Em cena, as atrizes e atores do elenco partem de suas experiências individuais e ancestralidades para identificar em suas existências os cruzamentos e heranças deixadas pela história de Tibira. O espetáculo tem direção de Georgenes Isaac, e é uma realização do Coletivo das Liliths, plataforma artística nascida em 2012 na Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA). O grupo vem fomentando e fortalecendo o debate acerca da afirmação das identidades de gênero, respeito às diferenças e combate à violência contra as dissidências. No elenco estão: Xan Marçall, Inaê Leoni, Thiago Carvalho, Gelton Alves, Vitória Alana, Gustavo Caldana, Brenda Matos, Eduardo Almeida, Taiana Lemos, Werlis Mota e Fernanda Santos.
Sociedade programada
O questionamento aos males causados pelo machismo e pelo domínio do patriarcado é o mote da peça Não Me Fale de Fraquezas, que será apresentada sexta e sábado, 8 e 9/02, 18h.
Numa sociedade programada pelo poder masculino, os atores Junior Brito e Simuma Simone vivem dois personagens que despertam para a reflexão acerca de outras possibilidades de existência. “Não me fale de fraquezas” expõe o automatismo dos papéis de gênero, estimulando processos autônomos de reforma íntima. Diante de um poder opressivo que apaga as individualidades, o despertar da própria autonomia move indivíduos a se desprogramar do automatismo e quebrar os padrões existentes. O espetáculo tem texto e direção coletiva e encerra a caminhada acadêmica de Junior Brito e Simuma Simone, discentes da Escola de Teatro da UFBA, sob orientação da professora Elisa Mendes.
Um brado musical e performático contra o genocídio
Neste domingo, 17h, o Festival Kan Merin dar voz a um manifesto artístico contra o genocídio da população negra por meio do espetáculo Carne Negra, que reúne música e performance. Recentemente criada, em meio à turbulência político-sócio-cultural que se abateu no país, a banda Carne Negra quer dar sequência a um pacto que une a ancestralidade e a música. Composta por músicxs e performers, em sua maioria mulheres, que se auto referenciam pelos bairros da Liberdade, Alto do Cabrito, São Caetano e Cidade Baixa, de onde bebem os ritmos afro-brasileiros que dão origem às produções musicais apresentadas em cena. São corpos pulsantes, que performam, cantam e batucam celebrando a resistência.
Próxima semana
Na última semana do Festival Kan Merin ainda acontecem o show As Puritanas (dia 12, 19h), com as transformistas Angelina Meels e Laila Lautner que prepararam uma encenação com muita música e humor; tem também mais duas apresentações da peça Não Me Fale de Franquezas, dias 15 e 16/02, 18h e um Baile de Carnaval no dia 17/02, a partir das 10h, no encerramento do Festival.
ESPETÁCULOS
TIBIRAS – TEATRO
[6 E 7 DE FEVEREIRO, 19h]

NÃO ME FALE DE FRAQUEZAS – TEATRO
[8, 9, 15 E 16 DE FEVEREIRO, 18h]

CARNEGRA – MÚSICA
[10 DE FEVEREIRO, 17h]

AS PUriTAnaS – TRANSFORMISMO
[12 DE FEVEREIRO, 19h]

BAILINHO DE CARNAVAL
[17 DE FEVEREIRO, 10h]

• A Casa 14 fica na rua Frei Vicente, mesma rua do Theatro XVIII e do batalhão da Polícia Turística, no Pelourinho.

• Todas as apresentações possuem ingressos a preços populares de R$20,00 ou R$10,00 (meia e lista amiga), exceto o Baile de Carnaval que tem preço único de R$ 10,00 (dez reais).

• A programação está disponível no endereço: https://web.facebook.com/festivalkanmerin/
FESTIVAL KAN MERIN
Idealização: Thelma Gualberto
Curadoria e Direção Artística: Thelma Gualberto
Coordenação de Produção: Ana Mariano
Produção Executiva: Ana Mariano e Iris Boa Morte
Coordenação Técnica: Iris Boa Morte
Assistente Técnico: Jeferson Motta
Assessoria de Comunicação: André Luís Santana (Jornalista DRT BA 2226)