Notícias

Fala do cantor Leonardo sobre HIV e coronavírus em show causa repúdio em ativistas

Redação,
16/03/2020 | 16h03

O cantor Leonardo vira e mexe se envolve em polêmica. A última aconteceu neste domingo (15), durante um show realizado no interior de São Paulo, após a circulação do vídeo abaixo, onde ele fez uma comparação do HIV+ com o Corona Vírus. Após essa circulação, muitas reclamações sobre o posicionamento do cantor ganharam as redes sociais. O sertanejo parou a apresentação e disse essa triste declaração:

“Trinta milhões de pessoas no Brasil tem HIV. Trinta milhões. Pra ser sincero… ninguém usa camisinha. Agora, 900 casos de… tem que usar máscara! Eu cheguei à conclusão de que é melhor a gente morrer f*dendo que morrer tossindo”, disse Leonardo.

Nota de repúdio à fala do cantor Leonardo:

A Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e AIDS (RNP+Brasil), a Articulação Nacional de Luta Contra a Aids (ANAIDS), o Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas (MNCP), a Rede Nacional de Mulheres Travestis e Transexuais e Homens Trans Vivendo e Convivendo com HIV/AIDS (RNTTHP) e a Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids Brasil (RNAJV), coletivos de movimentos sociais que atuam desde 1995, visando o fortalecimento individual e coletivo, agregando pessoas vivendo com HIV e aids em todas as regiões do país e articulando políticas públicas de saúde, manifestam seu REPÚDIO às declarações do cantor Leonardo, realizadas em um show na cidade de Pompeu-MG no dia 14/03/2020.

No momento em que o Brasil e o mundo passam por uma situação delicada, com a pandemia do coronavírus – COVID 19, o cantor faz comentários de forma jocosa, falando que “[…] 30 milhões no Brasil tem HIV e ninguém usa camisinha e agora com 900 casos de uma… tem que usar máscaras? […]”
Lamentável a falta de conhecimento do cantor, tanto no que se refere ao HIV/aids como à pandemia do coronavírus. No Brasil não existem mais de 30 milhões de casos de HIV. Segundo o último Boletim Epidemiológico de HIV/Aids, o Brasil registrou 966 mil casos de HIV no período de 1980 a 2019.

Ao falar que ninguém usa camisinha em tom de deboche, o cantor desmerece um trabalho histórico que o movimento de luta contra a aids tem feito nesses 40 anos de epidemia no Brasil. Além disso, dá a entender que a camisinha é a única forma de prevenção e faz um julgamento de valores a não utilização do preservativo, reforçando o estigma, preconceito e discriminação às pessoas que vivem com HIV/Aids (PVHA).

No momento em que o Ministério da Saúde faz um trabalho de conscientização da população, para o uso de máscaras para amenizar o risco de transmissão do Coronavírus, o cantor mantem sua agenda de shows, reunindo dessa forma, um grande número de pessoas, aumento o risco de transmissão e ainda fala, novamente em tom de deboche, que “temos que usar máscara?”.

A RNP+Brasil, ANAIDS, MNCP, RNTTHP e RNAJV veem a postura do cantor Leonardo como um desserviço à saúde pública, pois como uma figura pública, existe toda uma responsabilidade com a sociedade. O cantor, em vez de fazer piadas com assuntos sérios, deveria usar sua imagem para conscientizar e informar, não somente o seu público como a população em geral.

Chega de desserviço, desinformação, estigma, discriminação e brincadeiras. Não podemos brincar com coisas sérias. Mais respeito à VIDA!

Brasil, 15 de março de 2020

RNP+ Brasil
ANAIDS
MNCP
RNTTHP
RNAJV