Exposição na Caixa Cultural Salvador promove viagem pela História da Arte

Arte e Exposições, No Circuito
2 de outubro de 2018
por Genilson Coutinho

A Caixa Cultural Salvador apresenta a exposição O Trem da História, uma viagem imaginária de trem, que revela os diversos períodos da história da arte, através de réplicas de obras importantes. As visitações ocorrerão do dia 6 de outubro a 16 de dezembro de 2018, de terças-feiras a domingos, das 9h às 18h, com acesso gratuito e livre para todos os públicos. O dia da abertura terá horário especial para os pequenos, com início às 11h.

 Voltada para crianças e adolescentes, a mostra é dividida por temas e representa obras dos artistas Tarsila do Amaral, Van Gogh, Di Cavalcanti Candido Portinari, Leda Catunda, Carmela Gross, Anita Malfatti, Ismael Nery, Leonilson, Regina Silveira, Jorge Barrão, Van Gogh, Renoir, Paul Gauguin, Claude Monet, Hieronymus Bosch, Giorgio De Chirico, Henri Matisse, Marc Chagall, Edgard Degas, Rembrant, Picasso e Lasar Segall. A novidade é que pela primeira vez uma exposição na CAIXA Cultural Salvador será aberta às 11h, para privilegiar o público infanto-juvenil.

 Apostando no lúdico para encantar visitantes de todas as idades, a mostra é inspirada no livro O Trem da História, da escritora Katia Canton, vencedor do prêmio de Melhor Livro Informativo, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Canton também assina as curadorias artística e educativa da exposição.

 Uma viagem pela história da arte:

O Trem da História traz um cenário interativo, com um trenzinho cenográfico na entrada da galeria, que pode ser explorado pelo visitante. Ao primeiro contato, o visitante receberá seu passaporte, um livreto que promove interação com as obras, a partir de uma linguagem acessível para o universo infantil. Ao percorrer toda a viagem, o visitante receberá um carimbo no seu passaporte, que o reconhecerá como “viajante do mundo”.

 A mostra também conta com totens equipados com tablets, para que as pessoas possam conhecer um pouco da história de cada artista. Segundo Katia Canton, a linguagem da exposição foi pensada para possibilitar o entendimento e aproximação das crianças, respeitando faixas etárias, através da criação desses estímulos que ampliam a vivência.

 “A premissa básica é a integração do fazer artístico, a apreciação da obra de arte e sua contextualização histórica”, afirma Canton. Todas as obras estarão dispostas em uma altura que permite aos pequeninos poder apreciar todos os detalhes da exposição.

Incentivo à cultura

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências.

 A CAIXA Cultural Salvador foi inaugurada em 1999, no prédio datado do século XVII, que já abrigou a antiga Casa de Orações dos Jesuítas e onde, ao longo da história, já trabalharam personalidades como Glauber Rocha, Caetano Veloso e Lina Bo Bardi. Após ser tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e restaurada pela CAIXA, a Casa hoje oferece ao público duas galerias de arte, um anfiteatro, um salão para espetáculos, uma sala para eventos e uma sala de oficinas, constituindo importante espaço de difusão cultural localizado no centro de Salvador.