Exposição fotográfica revelas práticas festivas do candomblé

Arte e Exposições, Notícias
4 de março de 2015
por Genilson Coutinho

A fotógrafa Andrea Magnoni revela a delicadeza do universo do candomblé em 25 fotografias das festas públicas na Casa do Mensageiro, o Ilê Àse Ojisé Olodumare que celebra 10 anos de atividade. A exposição, intitulada Mo Júbà – Um olhar sobre o Mensageiro, reúne imagens que documentam um ano de festas públicas da casa, mostrando os momentos de devoção aos Òrìsàs, fé e beleza. A abertura da mostra acontecerá nesta sexta-feira, dia 6 de março, às 18h, na Casa da Música (Parque Metropolitano do Abaeté), em Itapuã, onde será possível conferir a exposição. O evento de abertura contará com mesas redondas, atrações culturais e artísticas.

Com curadoria do Bàbálórìsà Rychelmy Imbiriba, líder da Casa do Mensageiro a mostra conta com fotografias, impressas em telas de linho branco no tamanho 50X70, dando um ar mais poético às imagens. Mo Júbà é uma expressão em Yorubá, que significa: “Meus Respeitos”. As festas públicas de um terreiro são as celebrações aos Òrìsàs, também sendo marcadas por momentos de iniciações, confirmações e obrigações de Filhos de Santo. O conjunto documental produzido por Andrea Magnoni não expressam momentos íntimos da prática religiosa, mas celebrações que são públicas.

Andrea conta que há pessoas do candomblé que criticam as fotografias que captam momentos do Òrìsà incorporado, mas de acordo com sua experiência, esses registros mudaram visões do público não iniciado na religião. “Desde a primeira festa que fotografei, é recorrente o comentário de pessoas que não tinham contato com a religião por causa dos preconceitos e ao verem as fotos, mudaram sua visão sobre Òrìsà e sobre Candomblé. Fico realmente muito feliz em poder contribuir com essa ressignificação do olhar, pois há tanta beleza e reverência, é tudo tão sensorial numa celebração – desde o incenso, as folhas no chão, o branco alvíssimo das vestes, as contas cuidadosamente escolhidas, as músicas que tocam a alma, o abraço do Òrìsà que leva muitos às lágrimas e o ajeum (comida) que é servida após a festa. Tudo isso nos foi proibido pelos preconceitos, fomos afastados da nossa ancestralidade e fico emocionada quando ouço alguém dizer que resgatou esse contato, estimulado pelas imagens que fiz” conta a fotógrafa.

A Casa do Mensageiro teve sua origem em Natal/RN e suas práticas vieram para salvador, com a mudança do Bàbálórìsà Rychelmy Imbiriba, pesquisador acadêmico pela Universidade Federal da Bahia. O líder da casa é filho de Esú, orisá mensageiro, regente do começo de todas as coisas e princípio do universo.

Programação Mo Júbà – Um olhar sobre o Mensageiro
18h – Abertura da exposição
18h – Vídeo Institucional
18h40 – Mesa redonda 1 – Tema: 10 anos de história
19h10 – Entrega das Homenagens
19h30 – Mesa redonda 2 – Tema: A foto como registro documental
20h20 – Atração cultural

Maiores informações com Andrea Magnoni – (71) 8761-8944 (71) 9260-8619