Exposição de Sebastião Salgado será destaque no Fórum Social Mundial

Arte e Exposições, No Circuito
28 de fevereiro de 2018
por Genilson Coutinho

(Foto: Renan Ramalho/G1)

A exposição “Índios Korubo: Vale do Javari”, de Sebastião Salgado, um dos maiores nomes da fotografia mundial, é uma das atrações já confirmadas do Fórum Social Mundial, que acontece de 13 a 17 de março em Salvador, mais exatamente nos campi da Universidade Federal da Bahia.  As imagens expostas são resultado do contato do artista mineiro com o povo Korubo, do Vale do Javari, oeste da Amazônia. Os Korubos não falam português, em sua maioria, e são frágeis frente às doenças comuns entre não índios. Conhecidos como violentos e chamados de “caceteiros” – em razão de usarem bordunas, em vez de arco e flecha – estão ameaçados pela exploração clandestina das riquezas de seu território.

O Fórum Social Mundial (FSM 2018) reunirá movimentos sociais de todos os continentes com o objetivo de elaborar alternativas para transformação social global. Com o lema “Resistir é criar, resistir é transformar”, o evento abordará os ” Povos Indígenas” como um dos seus eixos temáticos, contando com mesas de debate e mostras artísticas.

O trabalho de Salgado é uma continuidade de “Gênesis”, que inclui fotos dos índios Zo’és, do Pará, e de outras etnias. A série de reportagens fotográficas, que ficará exposta na antessala da Reitoria da UFBa a partir de 13 de março, faz parte de um projeto maior, “Amazônia”, classificado por Salgado como seu “último projeto”, já que ele pretende revisitar e reeditar seus antigos acervos.

Esta semana, em 19 de fevereiro, o fotógrafo doou 16 fotos de sua expedição pela Amazônia ao Superior Tribunal Federal (STF). Cada foto é avaliada em 200 mil reais. Parte dessa mostra, que irá se consagrar com o projeto Amazônia” e rodará o mundo, estará disponível durante o Fórum Social Mundial na Reitoria da UFBA.

Outra exposição com temática indígena será “Resistência”, da artista plástica Arisana Patoxó, da etnia Pataxó. Egressa do curso de Artes Plásticas da Escola de Belas Artes da UFBA, ela irá expor 10 quadros no hall de entrada do pavilhão Glauber Rocha (antigo PAF III), de 13 a 17 de março.

Mesas de discussão, intervenções artísticas e culturais, e diferentes manifestações culturais e políticas das principais lideranças indígenas do país e do mundo, a exemplo de Sônia Guajajara, da Terra Indígena Araribóia, Maranhão, coordenadora da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), completam a programação.