Exposição ‘Condenados – no meu país, minha sexualidade é um crime’ é aberta ao público

Sem categoria
4 de outubro de 2012
por Genilson Coutinho


A comunidade LGBT de Salvador, jornalistas e estudantes compareceram na noite da última quarta-feira (3) para conferir a exposição fotográfica ‘Condenados – no meu país, minha sexualidade é um crime’ e puderam conferir os 50 autorretratos de gays de 80 países amedrontados e reféns da violência imposta a comunidade gay, nos quais a homossexualidade é condenada com penas severas.
A mostra é resultado de uma pesquisa do fotógrafo e jornalista francês Philippe Castetbon, que após se cadastrar em um site de encontros descobriu o sofrimento de gays de diversos países, onde a homossexualidade é proibida e condenada pelas leis, e encontraram na internet um mecanismo de fuga e de desabafo devido a situação vivida por eles em seus países.


Paullete Furação, primeira transexual a ocupar um cargo no núcleo LGBT da Secretaria de Justiça, cidadania e direitos humanos no Governo da Bahia compareceu a exposição e ficou impressionada com o número de violações dos direitos humanos nesses países. “É impossível não olhar para as fotos e nos enxergamos, pois ser gay no Brasil mesmo não sendo considerado um crime, como nesses países, a homofobia é muito forte, seja no ambiente escolar ou no ambiente familiar. Assim como eles que encontram na internet um caminho para denunciar o sofrimento, através da fotografia, aqui na Bahia tem muita gente sofrendo em silêncio com medo de abrir a boca e ser espancado. Fico estarrecida todos os dias com esses abusos contra nossa comunidade”, disse Paullete.
Nesta quinta-feira (4), haverá uma visita guiada, conduzida por Philippe Castetbon, a partir das 16h. Os visitantes terão oportunidade de conhecer seu trabalho desde a concepção do projeto. Philippe também contará um pouco da historia de cada uma das fotografias que compõem a exposição.
Salvador é a segunda cidade da América Latina a abrigar o projeto, que é acompanhado dos testemunhos dos participantes e foi uma forma encontrada por Philippe de revelar o cotidiano dos homens que vivem à margem da sociedade.
Serviço:
Centro Cultural Correios
Praça Anchieta
Esquina com a Rua Inácio Acioli Pelourinho
Centro Cultural Correios – Pelourinho
De 04 de outubro a 16 de Novembro
Ponto de referência: Igreja de São Francisco

Acompanhe também o Dois Terços pelo Twitter

Curta a página do Dois Terços no Facebook