ExperimentandoNUS Cia. de Dança estreia duas coreografias no Espaço Xisto Bahia

Sem categoria
12 de março de 2014
por Genilson Coutinho

O cotidiano refletido no palco e questões sociais como ponto de partida para dança. É com esse mote que a ExperimentandoNUS Cia. de Dança estreará duas novas coreografias dentro de sua mais nova montagem, Duplex, no Espaço Xisto Bahia (Biblioteca Central dos Barris), nos dias 25, 26 e 27 de março, às 20h. Com assinatura do diretor e coreografo Bruno de Jesus, ambas criações partem de um olhar para questões sociais, a violência sexual contra crianças e as estéticas culturais da periferia.

Por meio da dança contemporânea, a coreografia bon-ECA provocará reflexões em torno da violência sexual contra crianças, revelando seu caráter frequente e velado na sociedade brasileira. Para potencializar a criação artística, foi feita pesquisa com psicólogas que atendem vítimas de violência sexual. A partir desse diálogo, dois objetos-chave foram inseridos na coreografia “o desenho no papel branco com giz de cera e a imagem da boneca, que podem carregar historias e lembranças marcadas na infância, todas ligadas a ingenuidade e a fragilidade”, explica o diretor .

No segundo trabalho, intitulado Por que, Zé?, entra em cena o universo da música verdadeiramente popular, focando em três vertentes: o arrocha, o pagode e o funk. Segundo o coreógrafo, o objetivo é problematizar o preconceito em torno dessas expressões, “Existem pessoas, principalmente as mais velhas, que falam muito da vulgaridade, do erotismo na dança e nas letras. Queremos questionar que o tempo da juventude dessas pessoas outro. Precisamos ver não só como uma questão de música ou de mercado, mas como a produção de um povo que está ocupando aquele lugar e tempo” . Retomando a característica da companhia de provocar reflexões no espectador, esta nova coreografia procura entender a importância desses estilos, da musicalidade e corporalidade na diversidade cultural brasileira e nas identidades do nosso povo.

Da soma das duas criações, o espetáculo Duplex pode ser compreendido como um sistema de comunicação composto por dois interlocutores que podem comunicar-se entre si e em ambas as direções, neste caso as duas coreografias e o seu contexto, na linguagem de dança contemporânea.

Bruno afirma que a tônica social do espetáculo Duplex reflete a trajetória do grupo “Nossos espetáculos não têm só uma função artística e filosófica, mas também algo que traz uma reflexão do cotidiano. É uma celebração de 6 anos tratando desses temas.”

Foto: Safira Moreira

Serviço
O quê: Estreia do espetáculo DUPLEX
Quando: 25, 26 e 27 de março
Horário: 20h
Local: Espaço Xisto Bahia
Endereço: Rua General Labatut, 27 – Barris
Quanto: R$20 e R$ 10
Classificação: 16 anos