Ex-ator de Power Rangers fala sobre super-heroína lésbica

Notícias
24 de março de 2017
por Genilson Coutinho

David Yost, na época de ‘Power Rangers’ e Becky G., que será super-heroína homossexual na nova versão (Foto: Divulgação)

O ator David Harold Yost, conhecido por interpretar o personagem Billy, Ranger Azul, da série Power Rangers, falou em entrevista ao site TooFab sobre a mudança dos tempos de ter a heroína abertamente homossexual. Ele afirma que sempre ouvia as piadas que faziam, as ofensas ao ser chamado de “bicha” e os murmurinhos entre os produtores sobre sua sexualidade.
“Eu soube dos boatos de Trini há cerca de um mês e pensei: ‘Que interessante’. Claro que fiquei muito feliz e empolgado que produtores e o diretor assumiram isso e se dispuseram a representar a comunidade LGBT. Faz sentido quando você pensa sobre isso, já que Trini vai questionar sua sexualidade na angústia que é a adolescência. Estou ansioso para ver o resultado de como isso vai acontecer”, disse Yost.

sabans_power_rangers_dean_israelite_inset

Becky G em ‘Power Rangers’ (Foto: Divulgação)

Na entrevista, o ator revelou também que chegou a tentar “se converter à heterossexualidade” por dois anos e teve um colapso nervoso por não se aceitar gay por conta do preconceito.
Ao falar da personagem, Yost diz que os tempos mudaram bastante desde que Power Rangers estreou, em 1993. “Isso mostra o quanto caminhamos nesses quase 25 anos. É encorajador ver o cenário de Hollywood e dos EUA, em como estamos retratando isso de maneira apropriada. Claro que, se fosse na minha época, eu seria muito mais confiante e sem insegurança. Não ia querer esconder nada sobre mim. Sou assim e você pode ou se aceitar ou não se aceitar. Mas não vou mudar por ninguém ou fingir ser alguém diferente do que realmente sou”, comenta.
Quando é questionado se tem um recado para mandar aos haters que criticarão o filme, Yost é direto no assunto. “Eu encorajaria a abrir o coração. Se tem algum tipo de religião, eu apenas diria para seguirem esse trecho da Bíblia: ‘Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus’. Se você fizer isso, sabe que de modo algum você deve julgar outro ser humano”, finalizou o ator.
  Estreado na última quinta-feira (23), o longa traz uma personagem homossexual. Trini, a Ranger Amarela (papel de Becky G), já ostenta o título de primeira super-heroína assumidamente lésbica de Hollywood.
“Trini está questionando quem ela é. Ela ainda não se descobriu completamente. Eu acho que o bom é dizer que todas as crianças têm que descobrir quem são e encontrar a própria tribo”, disse o diretor Dean Israelite.
Veja os locais de exibições .