Espetáculo Marquês de Sade realiza seis sessões no TCA; confira as datas

No Circuito, Teatro
28 de outubro de 2015
por Redação

Foto: Saulo Kainuma

O espetáculo SADE,  montagem mais recente do Teatro NU, realiza 06 sessões na Sala Principal do Teatro Castro Alves nos dias 04, 05 e 06 de novembro (quarta, quinta e sexta). Além das apresentações, o público confere ainda uma edição especial do projeto Conversas Plugadas do TCA. Nos três dias a primeira sessão tem início às 18h, sendo que nos dias 04/11 e 06/11 (quarta-feira e sexta-feira) a segunda sessão acontece às 21h e no dia 05/11 (quinta-feira), excepcionalmente, às 21h30, por conta da Edição Especial do projeto Conversas Plugadas, que terá participação de Eduardo Tudella. O bate-papo tem início às 19h45 e traz este profissional que assina a cenografia de SADE e que contará sobre sua trajetória, além de falar dos seus trabalhos e processos com luz e cenário. Os ingressos serão vendidos a preços populares: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). As vendas para conferir SADE terão início no dia 28 de outubro (quarta-feira).

As histórias do célebre escritor libertino francês, SADE, assinada pelo dramaturgo e encenador Gil Vicente Tavares, ganha uma segunda temporada de seis apresentações no Teatro Castro Alves. O espetáculo do grupo Teatro NU conta com realização da Maré Produções Culturais e patrocínio do Fundo de Cultura da Bahia. O aristocrata cujo nome deu origem ao termo sadismo é encarnado pelo premiado ator Carlos Betão, que divide o palco ao lado dos também premiados atores Marcelo Praddo e Wanderley Meira, todos vencedores do Prêmio Braskem de Teatro, além das atrizes Fafá Menezes e Márcia Andrade. Fruto da pesquisa no mestrado, feita por Gil Vicente Tavares sobre os fatos e passagens memoráveis de sua vida, a peça se configura como uma grande fantasia autobiográfica do marquês, recheada de discussões sobre política, erotismo, moral cristã e bons costumes.

O Espetáculo – Para encarnar os vários personagens que aparecem na história, os atores se desdobram num constante jogo de trocas e metalinguagem. Todos são parte das fantasias de Sade, cuja escrita cruzou as fronteiras daquilo que se evita falar: a sexualidade não-convencional, a violência, a loucura, a homossexualidade, a cultura do estupro, além de diversos questionamentos políticos sobre o período histórico conturbado que Sade viveu. Por tratar de temas que acabaram por incomodar a sociedade de sua época, Sade foi preso diversas vezes, até, ao final da vida, ser conduzido a um manicômio, onde passou os últimos dias de sua vida, entre encenações com os detentos e uma saúde fragilizada.

Data: 04/11/2015 a 06/11/2015

Valor: R$ 20/R$ 10.