Espetáculo infantojuvenil “Inventa, Desinventa” se apresenta no Teatro Jorge Amado a preço popular

No Circuito, Teatro
14 de março de 2017
por Genilson Coutinho

Inventa,Desinventa

Nos próximos dias 18, 19, 25 e 26 de março o Teatro Jorge Amado recebe o espetáculo infantojuvenil “Inventa, Desinventa”. Influenciado pelo teatro de imagens musicais de Harald Weiss, pela Roda Teatro de Bonecos, Giramundo, o Bread and Puppet Theatre1  e principalmente  Philippe Genty, que explora e pesquisa as várias formas de manipulação e materiais, além de buscar a interação e interlocução do som, da musicalidade e ritmos contidos nos sentidos das palavras, o espetáculo “Inventa, Desinventa” pretende envolver o público numa reflexão imagética e cinética do medo.

Na realidade é uma proposta de se deixar levar e viajar nessa aventura numa noite chuvosa onde a imaginação e o medo se amalgamam até atingir a calmaria que todo sono merece. Cada um, criança ou adulto que se permitir entrar nesse universo terá a perspectiva de analizar, vivenciar e vencer seus medos se porventura, inventar desinventando e reinventando outra imagem no lugar daquela que tem medo.

Já por mais de uma década, eu investigo e uso manipulações muito pontuadas  nos espetáculos que concebo e dirijo de máscaras, bonecos e resignificandos  objetos, redimencionando a expressão do corpo e do espaço  e palavras por desejar ver as vistas um espetáculo que ofereça ao espectador  a perspectiva de montar seu quebra cabeças e tirar suas próprias conclusões do que vê. Todas as vezes que assumo fazer um espetáculo para crianças, eu consulto a criança existente dentro de mim, se o que ofereço, é de fato o teatro que careço consumir, se essa criança que existe em mim se diverte, se aprende apreendendo o significado das coisas e da vida.

SOBRE A AUTORA

Cláudia Maria de Vasconcellos é dramaturga, atuando nos teatros adulto e infantojuvenil desde 1994. Nascida na capital paulista em 9 de setembro de 1966, é formada em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), da Universidade de São Paulo (USP), instituição na qual defendeu também seu mestrado em Ética e Política e seu doutorado em Teoria Literária.

Iniciou sua carreira como dramaturga em 1994, ao escrever a peça dirigida ao público infantil “Inventa-Desinventa”. Desde então escreve assiduamente para crianças e jovens, assinando textos como “As Roupas do Rei” (direção de Cristina Lozano, 2002); “Assembléia dos Bichos” (direção de Johana Albuquerque, 2005); “O Tesouro de Balacobaco” (direção de Johana Albuquerque, 2007), “Espiral do Tempo” (direção de Johana Albuquerque, 2009), e recebendo especial atenção do público e da imprensa especializada, capitaneando assim o posto de uma das precursoras da nova dramaturgia dirigida às crianças.

Em 1998, em parceria com Carlos Alberto Soffredini, estreia no teatro adulto, como dramaturgista do espetáculo “Irmãs do Tempo” que teve temporadas até o ano 2000. Além dessa peça que marcou a história teatral nos anos 1990, seus trabalhos mais importantes são “Lágrima de Vidro” e “Cata-Dores”, ambos dirigidos por Jairo Mattos em 2007.

Entre os prêmios recebidos destacam-se Grande Prêmio da Crítica pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte); Prêmio de Melhor Texto MinC (Ministério da Cultura) e Prêmio Coca-Cola Femsa de Melhor Texto.

Com outras três dramaturgas – Beatriz Gonçalves, Marici Salomão e Vera de Sá –, criou em 2006 o núcleo Dramáticas em Cena, em que estudavam, discutiam e produziam textos dramáticos.

Em 2010, participou do Summer Academy, training e montagem do espetáculo The Lady and the Lapdog, de Tchekhov, dirigido pelo russo Jurij Alshitz, na Itália.

Criou com as atrizes Neca Zarvos e Vera Bonilha a cia. Teatro do Tempo, e leciona dramaturgia na SP Escola de Teatro e na editora Terracota.

 

 

Serviço

 

Inventa, Desinventa”

Data: 18, 19, 25 e 26 de março, às 16h

Local: Teatro Jorge Amado

​Valor:  R$ ​20 (inteira) R$ 10 (meia)

Classificação Livre

 

Vendas  http://www.compreingressos.com/espetaculos/6730-inventa-desinventa  ou Bilheteria do Teatro – aberta de quarta a sexta, das 14h às 19h; Sábado, das 14h às 22h e Domingo, das 14h às 21h