Espetáculo infantojuvenil faz apresentação gratuita no VIVADANÇA

Sem categoria
8 de abril de 2013
por Genilson Coutinho

Espetáculo infantojuvenil trata da transformação e do medo do desconhecido


Uma lagarta que não quer ser borboleta. Mas como assim? Para entender as suas razões e saber o que vai acontecer com ela, o público pode conferir o espetáculo Judite Quer Chorar Mas Não Consegue, no circuito infantil do VIVADANÇA Festival Internacional, dias 10 e 11 de abril, às 10h e 15h, com entrada franca. A montagem do coreógrafo e dançarino Edu O. une dança e teatro e flerta com as histórias em quadrinhos e desenhos animados, para abordar de forma lúdica temas como diferença, autoaceitação, perdas e ganhos na vida.
O espetáculo Judite Quer Chorar Mas Não Consegue foi concebido a partir de elementos autobiográficos que retratam a resistência às transformações. Apesar de tratar-se de temas fortes e difíceis, tudo passa por um filtro poético e lírico com uma estética leve. Ele propõe, acima de tudo, uma reflexão sobre o ser indivíduo (diferente) numa sociedade padronizada e repleta de repetições de símbolos.
Na história, ao invés de ocupar o seu lugar no mundo, do qual morre de medo, Judite escolheu ficar quietinha no seu canto. A lagarta mora numa folha de comigo-ninguém-pode, planta venenosa, em vez de desfrutar da beleza das rosas. Lá ela se confunde com a própria planta, passa o dia tomando chá de frutas vermelhas, comendo chocolate e olhando para o teto. Mas, pelas leis da natureza, a mudança se pronuncia inevitável.
O coreógrafo e dançarino Edu O., que é cadeirante, explora as particularidades do seu corpo e as diferentes possibilidades para a execução dos movimentos. Seu trabalho busca a especificidade destas diferenças, numa atitude de afirmação. Buscando mergulhar nas questões psicológicas da personagem, Edu aprofundou-se em sua pesquisa da técnica de improvisação e de clown, por acreditar que seriam valiosos suportes técnicos para a criação de Judite e toda a concepção do espetáculo.

SERVIÇO
Dias: 10 e 11 de abril
Horário: 10h e 15h
Local: Cine-Teatro Solar Boa Vista (Salvador)
Entrada franca