Espetáculo A COISA, com Jackson Costa, faz tour por cidades baianas após receber Prêmio Myriam Muniz Em Salvador, o espetáculo será no próximo sábado, 14 de setembro, no TCA

Sem categoria
10 de setembro de 2013
por Genilson Coutinho

Jackson Costa, um dos mais prestigiados atores baianos com reconhecimento nacional, volta a encenar, nos palcos da Bahia, o espetáculo A COISA, que foi contemplado com o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz. Serão dez apresentações com preços populares, sendo em Salvador uma única apresentação, no dia 14 de setembro, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, às 21h. Em seguida e já tendo passado por Lauro de Freitas, o espetáculo segue para Camaçari, Feira de Santana e, também, encerrando a temporada, a capital sergipana, Aracaju, no dia 6 de outubro. [vide serviço completo no fim do release]

A proposta principal do espetáculo é musicalizar textos da rica tradição oral da poesia brasileira e portuguesa. Gregório de Mattos, Castro Alves, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, José Delmo e Ramon Vane, entre outros, terão seus poemas interpretados e acompanhados por uma banda de música popular contemporânea – formada por sintetizador, teclado, guitarra, baixo e percussão. Recorrendo a recursos cenográficos e iluminotécnicos, A COISA estrutura-se como um gênero polissêmico em que se associam o teatro, a música e a poesia, numa obra impactante e comunicativa. “O que busco é, justamente, a musicalidade de cada texto. E o acompanhamento sonoro em cena ajuda a colocar imagens nas palavras”, explica Costa.

Assim, experimentando um formato contemporâneo para os tradicionais recitais de poesia, o espetáculo promove a difusão de poemas importantes e sugere ao público dois desafios: a apuração de uma percepção mais sensível e a superação dos modelos rígidos a que estão submetidos os nichos culturais mercadológicos. Trata-se, ainda, de estimular a aventura das palavras a partir do contato com uma miscelânea de poemas. Um estímulo, sobretudo, à oralidade, já que esta é a origem histórica e tradicional da poesia.

Com direção de Paulo Dourado e produção da Sole Produções, o espetáculo conta com a participação de um cantor convidado diferente em cada apresentação. Sempre com um som contemporâneo eletrônico que mescla elementos percussivos e tribais. “Às vezes os textos parecem rap, mas com uma riqueza sonora e de idéias que não é comum na maioria dos raps; outras vezes utilizamos bateria solo para acompanhamento ou castanholas em poemas eróticos”, salienta o ator.

Para a apresentação em Salvador, no Teatro Castro Alves, a participação especial será deMateus Aleluia. Natural de Cachoeira, Bahia, Mateus Aleluia é compositor de música popular brasileira, instrumentista e cantor, remanescente do grupo vocal ‘Os Tincoãs’, com discos registrados nas décadas de 70 e 80, sendo Mateus um dos condutores do perfil artístico ideológico do grupo. Com o trabalho musical dos “Tincoãs”, constatou-se a influência africana por meio dos cantos e ritmos das senzalas e também nos seus momentos ritualísticos. Os cantos oriundos de música sacra e do popular puseram dentro do entendimento espontâneo todo um sincretismo cultural religioso bem patente em algumas das suas obras registradas. Depois de viver 20 anos em Angola, ele lançou, em 2010, aos 66 anos, seu primeiro disco solo: “Cinco Sentidos”.

Serviço do Espetáculo “A COISA”:

Valor do ingresso: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

Agenda:

14 de setembro, 21h – Salvador – Sala Principal do Teatro Castro Alves

21 e 22 de setembro, 20h – Camaçari – Cidade do Saber

28 e 29 de setembro, 20h – Feira de Santana – Teatro do CDL

05 e 06 de outubro, 20h – Aracaju – Teatro Tobias Barreto

Ficha técnica:

Direção: Paulo Dourado e Jackson Costa

Ator: Jackson Costa

Direção Musical: Tadeu Mascarenhas

Textos: Gregório de Mattos, Castro Alves, Fernando Pessoa, Augusto dos Anjos, Carlos Drummond de Andrade, José Delmo e Ramon Vane.

Músicos:

Teclado: Tadeu Mascarenhas

Baixo: Marcelo Velanes

Percussão: Sidney Argolo

Bateria: Thiago Nogueira

Guitarra: Tico Marcos

Roadie: Cláudio Tatuzão

Direção de Produção: Simone Carrera

Coordenação de Produção: Luciana Müller

Assistente de Produção: Fernanda Caymmi

Produção Local Aracaju: Solange Gomes

Fotografia: Nanci Viegas

Técnico de Iluminação: Luciano Reis

Técnico de sonorização: Caetano Bezerra