Escritor leva o tema diversidade sexual e de gênero para escolas públicas

Notícias
15 de fevereiro de 2016
por Genilson Coutinho

Roberto Muniz Dias, de 40 anos, mora em Brasília e já escreveu diversos romances homoafetivos na carreira de escritor. Licenciado em Letras, Bacharel em Direito e Mestre em Literatura, ele percorrerá escolas e federações públicas para falar sobre diversidade sexual e de gênero.

Contemplado com a Bolsa de Fomento à Literatura da Fundação Biblioteca Nacional e do Ministério da Cultura, Roberto discutirá com alunos do terceiro ano do ensino médio temas que envolvem a comunidade LGBT.

“Quero empoderá-los sobre direitos humanos, diversidade sexual e de gênero; pois o que realmente existe é uma ideologia machista”, conta.

Escritor há dez anos, Roberto desenvolverá palestras e atividades a partir de textos de sua autoria e até quadrinhos, como o livro “Torta de Climão”.

“A intenção é sensibilizar com conversas sobre a própria sigla LGBT, as questões de gênero, o machismo, a homofobia e dialogar para saber o que os próprios alunos entendem”, afirma.

Ele viajará para Brasília, Goiânia, Belém, Manaus, Teresina e Fortaleza. Cerca de 30 alunos de cada escola receberão cartilhas e livros com literatura homoafetiva infantil durante as palestras.

Discutir gênero e sexualidade nas escolas

Para o escritor, questões de gênero e sexualidade deveriam fazer parte do currículo escolar. “Muitos alunos podem sofrer bullying homofóbico. Às vezes, os professores têm seus preconceitos e os leva para sala de aula”, diz Roberto.

Ele acredita que as políticas públicas deveriam abordar esses assuntos. “Temos que trabalhar essas questões hoje, como ser humano. Existe uma homofobia institucionalizada, revistas que circulam e falam de casais heterossexuais e não discutem sexualidade, além de padrões que não podem ser modificados”, completa.

Contos de fadas

Durante as exposições, Roberto abordará contos infantis que retratam casais homoafetivos, como o livro “Trilogia do Desejo”, que reúne três romances autorais.

Outra obra do escritor usada no projeto será “O Príncipe, o Mocinho ou o Herói Podem Ser Gays: A Análise do Discurso de Livros Infantis Abordando a Sexualidade”, em que Roberto questiona o padrão de contos tradicionais, da princesa que se apaixona pelo príncipe.

Mais uma referência será “Uma Cama Quebrada”, livro no qual ele quebra parâmetros sobre a poligamia e poliamor, não tendo a monogamia como único modelo de uma relação homoafetiva.

Roberto também irá propor atividades para que os alunos “troquem de gênero” e se coloquem no lugar da outra pessoa.

A série de palestras acontecerá no primeiro semestre de 2016. Ele compartilhará o roteiro de viagem e o cronograma das escolas participantes na sua página no Facebook.

Do Igay