Escritor baiano lança livro de autoficção

Arte e Exposições, Literatura, No Circuito
17 de dezembro de 2015
por Genilson Coutinho

Capa Murilo Melo

Dia desses, o escritor soteropolitano Murilo Melo, 24 anos, escreveu para seu público fiel que o segue no Twitter e Facebook: “O que dói mesmo é esse silêncio. Esse finalzinho de tarde em que eu te contava tudo do meu dia pra poder bater ponto na minha existência”. Como sempre, o desabafo tristonho foi compartilhado dezenas de vezes. Uma turma se identificou com aquela angústia e palavras de solidariedade dos leitores – a maioria jovem mais ou menos da mesma idade do autor – foram escritas no Tumblr que ele mantém há três anos e que recebe cerca de setenta mil acessos mensais.

Trata-se de uma conquista e tanto para um jornalista que, há ao menos oito anos, decidiu escrever sobre relacionamentos de forma aberta, sem barreiras e sem censura, com linguagem coloquial e detalhes profundos. Murilo reconhece que tem predileção por escrever sobre si mesmo. E que a exposição faz com que os amigos e até desconhecidos passem a conhecê-lo inteiramente. “Escrevo por impulso. Para vomitar o que estou vivendo, sentindo e pensando. Alguma dor, alguma alegria, algum medo, alguma raiva. Tudo de forma honesta, franca e sincera. Nunca consegui ser enigmático, discreto, pra dentro. E por ser assim, eu amadureço com o texto. Ele serve como uma espécie de análise e nunca é feito para agradar a alguém. Aí me liberto dos meus traumas, das minhas crises e dos meus cansaços. Talvez por isso as pessoas se identifiquem tanto”, diz.

Em novembro, as crônicas de relacionamento do escritor serão lançadas no livro Sentir é pesado demais pra eu carregar sozinho (Editora Multifoco, R$35), obra de estreia dele na literatura. Com linguagem contemporânea, a publicação reúne textos com humor neurótico, ácido, irônico, ferino e debochado, em meio a situações passionais – entre a melancolia da solidão e a doçura do recomeço -, numa época em que as relações são permeadas por aplicativos e redes sociais. A cada página da obra, são registradas inseguranças, dúvidas e incertezas de um jovem adulto que parece não entender muito bem como funciona o amor. Suas experiências são encarnadas em ciclos profundos de começos, meios e fins.

Embora emocionalmente sejam fortes, os textos de Sentir é pesado demais pra eu carregar sozinho são leves e cheios de detalhes. Narrados em primeira pessoa, com sinceridades extremas, são capazes de fazer refletir e até incomodar de tão lúcidos. “Quando escrevo um texto, eu bato 99% mais em mim do que em qualquer pessoa em que ele é direcionado, porque aí também é um jeito de me salvar, de me conhecer, de apontar minhas aflições e me fazer melhorar como ser humano. Aprendi a me sacanear para não morrer nas minhas angústias”, conta o escritor.

Para muitos, Murilo Melo serve como bom exemplo da nova geração de talentos surgida e talhada a partir de uma realidade digital inevitável. Quem acompanha seu trabalho na internet percebe de cara a simpatia que ele provoca nos internautas sensitivos, como costuma defini-los. “É a Tati Bernardi com calça e um Caio Fernando Abreu mais digitalizado”, compara a amiga Bia Camero, que assina o prefácio da obra.

 

Sentir é pesado demais pra eu carregar sozinho será vendido, após o lançamento, nas livrarias Cultura, Travessa, e no site da Editora Multifoco.

Murilo Melo /Foto: JUH ALMEIDA

Murilo Melo /Foto: JUH ALMEIDA

Sobre Murilo Melo:

É formado em jornalismo e graduando em letras vernáculas e língua estrangeira moderna pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Escreveu para o Jornal A Tarde, além das revistas NB Plus, Núcleo de Decoração da Bahia e Yacht. Também fez colaboração para a Folha de S. Paulo, Capricho e iBahia.

O lançamento do primeiro livro de Murilo Melo será no próximo dia 19, às 14h, no Restaurante 33 (Salvador Shopping) e conta com o apoio do Grupo Canal 2 e da M. Zanirato.

Serviço:

O quê: Lançamento do livro “Sentir é pesado demais para eu carregar sozinho” (Editora Multifoco)

Onde: Restaurante 33

Quando: Dia 19 de dezembro, sábado, às 14h

Apoio: Grupo Canal 2 e M. Zanirato