Erotismo e provocação marcam espetáculos de companhias paulistas este fim de semana no VIVADANÇA

Sem categoria
11 de abril de 2013
por Genilson Coutinho


Uma amostra da produção contemporânea de dança no estado de São Paulo será apresentada neste final de semana na programação do VIVADANÇA Festival Internacional. A Cia Borelli de Dança e a Companhia de Danças de Diadema mesclam técnicas da dança e do teatro para tratar da existência humana em diferentes perspectivas. Os espetáculos “Eu em Ti” e “Paranóia” ficam em cartaz nos dias 13 e 14 de abril, sábado e domingo, respectivamente, no Teatro Molière, às 19h, e no Teatro Vila Velha, às 20h e 19h. Os ingressos custam R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).
Ambas as companhias buscaram inspiração em diferentes poetas para criarem os seus espetáculos. A Cia Borelli encontrou na obra do pintor e poeta Ismael Nery motivação para abordar a preservação dos elementos essenciais à existência, concebendo o ser humano de forma espiritual. Através da abstração do corpo erótico e santificado, o espetáculo “Eu em Ti” vai além da estética, radicalizando na abordagem para encontrar uma reflexão. A versão trazida para Bahia é interpretada por dois bailarinos.
Já a Companhia Diadema busca transformar em imagens corpóreas as ideias provocativas do livro “Paranóia”, do poeta Roberto Piva, que captou de forma ao mesmo tempo transgressora e lírica todo o amor, desventura, desejos e decepções cotidianas nas ruas da grande metrópole paulista. O premiado espetáculo ficou em 3º lugar no Guia da Folha de Melhores Estreias de 2011 e foi um dos cinco melhores espetáculos de dança pelo “Prêmio Governador do Estado para a Cultura 2011”.

Cia Borelli de Dança – O desejo de questionar a existência humana, suas contradições e incertezas, nutre o trabalho do grupo, que busca elementos entre a violência, o prazer, a leveza e a dor para as suas composições. Dentro dessa proposta, produz resultados estéticos em que a certeza é substituída pela recusa de soluções lineares, transformando o gesto e o movimento em signos prisioneiros da ambigüidade. O percurso da companhia é pautado pela dança-teatro, com a intenção de provocar reflexões na plateia.
Companhia de Danças de Diadema -Completando 18 anos em 2013, o grupo se destaca pelo seu caráter inovador. Os bailarinos participam e colaboram com todo o processo de criação, buscando a interação com outros setores artísticos, como música, artes visuais, teatro, literatura. Os bailarinos atuam como artistas-orientadores no Projeto Oficinas – Difusão e Acesso à Dança, abraçando como uma de suas missões o trabalho sócio-cultural, por meio do ensino da dança e da descoberta do corpo como forma de expressão.
Fotos: Inês Correia