Emoção e coragem política marcam 12° Prêmio Cidadania em Respeito a Diversidade

Sem categoria
9 de junho de 2012
por Genilson Coutinho


Na última sexta-feira (8), durante a entrega do 12º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, a assessora de Marta, Montserrat Bevilaqua, esteve presente afirmou que a senadora atendeu aos protestos da militância e vai retomar o texto original do Projeto, apresentado por Bernardi. Agora resta a expectativa para que a votação ocorra o mais breve possível e que o PLC 122/2006 seja finalmente aprovado.

Em meio ao fundamentalismo religioso, iniciativas em defesa da cidadania de LGBT e contra a homofobia se afirmam pelo país, merecendo destaque e reconhecimento. Este é o objetivo do 12ª Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, entregue pela organização da maior parada do orgulho LGBT do mundo, a APOGLBT.

Mais uma vez, os cerca de 350 participantes e premiados que comparecem à Academia Paulista de Letras, no Largo do Arouche, compartilharam uma noite memorável. A emoção por superação da violência e a celebração pela coragem e ousadia de uns poucos, que se destacam todo ano, marcaram a cerimônia pela 12a. vez.

As performances ao vivo da cantora Paula Bencini, acompanhada do pianista Fernando Zuben, acentuaram o tom dramático da cerimônia, com standards da canção norte-americana. Novos clássicos, como as canções da britânica Adele, entusiasmaram a plateia e deram início à série de premiações, que contaram com a ajuda da população que enviou e-mails com sugestões de iniciativas premiáveis.

Categoria: ONG
O trabalho da Artgay – Articulação Brasileira de Gays, junto à juventude foi destacado pelo militante goiano Leo Mendes. Ele ressaltou a importância da combatividade de grupos como a Artgay para o enfrentamento do fundamentalismo religioso. “Hoje, no Congresso, temos uma frente diabólica, dita evangélica, tentando tirar nossos direitos, enquanto sabemos que um LGBT vai morrer daqui até a parada neste país”, lamentou Mendes.

Categoria: Trabalho
O diretor geral da South African Airways, Nelson de Oliveira, recebeu o prêmio pela iniciativa afirmativa de abrir vagas para transexuais na companhia aérea. Ele afirmou que, diante da falta de qualificação profissional observada nesta população, foi feita uma nova parceria com a Prefeitura de São Paulo. “A boa notícia é que através do contato, vamos criar um curso profissionalizante para capacitar as transexuais para processos de admissão. Isso deverá desestigmatizar essa parcela da população tão preconceitualizada”, afirmou Oliveira.

Categoria: Especial
O militante e gestor público Cassio Rodrigo foi surpreendido com um “prêmio surpresa” pela parceria histórica com a APOGLBT e o movimento, desde a primeira gestão da Coordenadoria da Diversidade Sexual da Prefeitura. Agora, na Secretaria de Cultura da cidade, Cássio garantiu parceria e apoio à cerimônia de premiação e destacou a inauguração do
Centro de Cultura, Memória e Estudos da Diversidade Sexual.
“Juntos, hoje, marcamos um momento histórico, consolidando São Paulo como um dos três locais do mundo com um centro dedicado à cultura LGBT”, afirmou Rodrigo.

Categoria: Ação Cultural
Karen Cunha é a gestora do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, na Vila Nova Cachoeirinha, Zona Norte de São Paulo, que recebeu o prêmio pelo Drag Contest – concurso de drag queens que leva a cultura produzida por LGBT para a periferia da capital. Segundo Karen, a programação tematizando questões LGBT é transversal e constante no espaço cultural e será estimulada pelo prêmio.

Categoria: Saúde
A SGEP – Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa foi premiada pela elaboração da Portaria nº 2.836, de 1º de dezembro de 2011, que regulamenta uma política de saúde integral para LGBT no Sistema Único de Saúde (SUS). A secretária de Gestão Estratégica e Participativa do Ministério da Saúde, Katia Souto, recebeu o prêmio ressaltando o “protagonismo de militantes incansáveis para garantir uma política do governo para esta população.”

Categoria: Artes Cênicas
Nelson Baskerville e Maria Cristina Baskerville são os irmãos que escreveram “Luis Antonio – Gabriela”, a peça teatral comovente, muito premiada em todo o Brasil, fazendo incursões internacionais.
Nelson contou a história real da irmã transexual, que saiu de casa com 17 anos, distante da família pela homofobia por trinta anos, quando a irmã Maria Cristina foi atrás dela na Europa. “Esta peça é uma homenagem a ele (sic) por ter vivido tanto tempo sem família por pura ignorância nossa”, afirmou Nelson. “Num mundo melhor, meu irmão (sic) teria sido tratado como a mulher que foi desde que nasceu”.

Categoria: Esporte
Erico dos Santos buscou seu troféu pela trabalho no novo CDG – Comitê Desportivo GLS Brasileiro. Ele afirmou que o comitê visa a estimular o combate à homofobia através do esporte. Divulgou que já prepara os jogos nacionais LGBT e trabalha para trazer os Gay Games ao Brasil, que são as olímpiadas mundiais LGBT.

Categoria: Literatura
“Viagem Solitária – Memória de um Transexual Trinta anos depois”, foi um dos principais destaques da literatura documental deste ano, contando a história de João W. Nery, que foi receber o troféu. Transexual masculino, João viveu uma era de muita discriminação e sofrimento, com consequências traumáticas para sua vida, tornando-o um autor com opiniões muito peculiares, que vale a pena conhecer.

Categoria: Cinema Ficcional
“Como esquecer”, de Malu de Martino, é o filme que comove pela delicadeza ao contar a história de Júlia (Ana Paula Arosio), uma professora de literatura inglesa, que luta para reconstruir sua vida depois de viver uma intensa e duradoura relação amorosa com a enigmática Antônia. “Espero que meu filme tenha conseguido contribuir para um mundo melhor”, afirmou Malu.

Categoria: Documentário
Inspirado no projeto americano “It Gets Better“, o filme “Não gosto de meninos – histórias que gostaríamos de ter visto antes” de André Matarazzo e Gustavo Ferri, reuniu durante 12 horas, 40 pessoas falando um sobre sua descoberta da sexualidade. Ser gay e se mostrar de forma natural tentando quebrar os tabus, falar sobre o reconhecimento, medos, mudanças, crescimento e aceitação, é o objetivo do projeto.
“O filme foi assistido por quase 400 mil pessoas e recebemos histórias incríveis sobre pessoas que se sentiram tocadas pelo filme”, disse André ao receber o prêmio.

Categoria: Publicidade
A campanha anti-homofobia do Governo Federal em parceria com a Rede Globo, o PNUD e a Unesco foi premiada pela enorme repercussão da veiculação em rede nacional. A secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (vinculada à Secretaria Nacional de Direitos Humanos), Salete Valesan Camba, representou a ministra Maria do Rosário e lembrou a importância de LGBT usarem instrumentos do governo como o Disque Denúncia e o Disque 100 para que a violência contra essa população seja superada.

Categoria: Internet
A Campanha Eu=Você, criada pela Equipe Arrasa Bi, foi destaque na internet ao mostrar LGBT comuns dispostos a fotografar mostrando como não diferem de nenhum ser humano em tantas semelhanças. “Convidamos a comunidade a participar e teve muita adesão com 186 fotos para mostrar pra sociedade a nossa cara. Foram seis anos do site, com um público heterogêneo, que acompanha e vê uma outra cara da nossa comunidade”, afirmaram os responsáveis pelo site.

Categoria: Internacional
A organização mundial All Out, composta de mães de filhos LGBT, ampliou-se para o Brasil e, por isso, foi premiada ao realizar a campanha Mães pela Igualdade com manifestação em São Paulo.
Luiz Arruda disse que o objetivo era juntar mães orgulhosas de seus filhos que quisessem lutar pelos direitos de seus filhos. “Nos tornamos uma grande família”, afirmou.
Hoje, a organização é composta de um milhão de pessoas. Uma das mães presentes à cerimônia disse que a campanha das mães é uma resposta política muito importante, surgida de uma declaração infeliz de um parlamentar. “LGBT têm mãe, têm pai e família. Enquanto eu viver vou lutar para acabar com essa maldita homofobia”, afirmou uma senhora atuante na campanha. Elas contaram que estarão no Trio da Paz, último caminhão da Parada deste domingo.

Memoriam: Cleides Antônio Amorim (TO) e Claudio Lemos (RJ)
O professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Cleides Antônio Amorim, foi morto no dia 5 de janeiro passado com uma facada em um bar de Tocantinópolis. O crime motivado pela homophobia declarada do assassino Gilberto Afonso de Sousa causou comoção na comunidade universitária que tem protestado e exigido punição.
Outra homenagem foi feita a Claudio Lemos, presidente do Grupo Cabo Free, de Cabo Frio (RJ), em decorrência de complicações de Aids. Seu companheiro teve dificuldade para expressar o sentimento pela homenagem ao afirmar a garra do militante, que segundo ele,
“era o melhor do mundo, e ser homenageado pela maior parada do mundo, tem tudo a ver”.

Categoria: Direito Civil
A APOGLBT fez questão de homenagear o STJ – Supremo Tribunal de Justiça, mesmo sabendo que não viriam representantes. “No momento em que somos usados como moeda de troca na política, temos um judiciário antenado e reconhecendo nossos direitos. Nossas vitórias hoje são no Judiciário”, disse Fernando Quaresma, pedindo uma salva de palmas.

Categoria: Imprensa
A capa da revista TRIP, edição no 304, com dois surfistas se beijando causou furor no meio masculino do esporte. Lino Bocchini ressaltou que, para além da capa, foram mais de cem paginas de conteúdo “falando sobre esse assunto para um público que pouco fala disso”.
Bocchini aproveitou a presença dos políticos aliados do movimento LGBT na plateia para dizer que é importante elogiar os políticos que apoiam a causa. “A gente só esculhamba com políticos. Mas é preciso votar em quem apoia”, enfatizou.

Categoria: Ação Política
Quaresma abriu a homenagem a todos os políticos que “abraçam a nossa causa, quando isso é tão difícil no enfrentamento dos nossos adversários”.
A assessora da senadora Marta Suplicy (PT-SP), Montserrat Beviláqua, trouxe a mensagem da petista de que o movimento pode contar com ela, “algo que ela diz há trinta anos”. Montserrat destacou três ações recentes do mandato em favor de LGBT, como o seminário para discutir criminalização da homofobia, que decidiu pela acolhida do pedido de retomar o substitutivo da senadora Fátima Cleide ao PLC 122/06, além da proposta que amplia o projeto da união civil para o casamento. “Marta vai estar na coletiva e na parada”, antecipou a assessora.
Outra membro da Frente Parlamentar em defesa de políticas para LGBT homenageada foi a deputada federal Manuela D ´Avila (PCdoB-RS). “Tem razões muito mais fortes que a demagogia e a perda de voto. Ainda existe estar do lado certo. A vida das pessoas está em jogo. Não há tempo para a vaidade política e para as pequenas diferenças”, afirmou.
Outros parlamentares como a senadora Marinor Brito (PSOL-PA) e o deputado Romário (PSB-RJ) foram representados pelo deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), também homenageado. Jean apresentou um dos cinco vídeos em defesa do casamento igualitário, uma campanha feita com 22 artistas famosos, que não para de ter adesões de celebridades dispostas a defender esta que ele considera sua principal pauta no Congresso. Ele ainda defendeu o PLC 122/06, de volta à pauta do Congresso. “É importante mudar a constituição com a PEC para que não tenham desculpa para nos negar nossos direitos”, afirmou Wyllys.

Categoria: Especial
A transexual piauiense Safira Bengel trouxe seu glamour ao evento para a homenagem reconhecendo sua trajetória em favor das trans. A apresentadora Gretta Star lembrou emocionada que Safira montou duas casas noturnas famosas em Milão, onde deu emprego para muitas trans que queriam representar no palco, em vez de trabalhar em subempregos.
“Queremos entrar pela porta da frente das tvs, cinemas e teatros, como artistas e capacitadas que somos”, afirmou Safira. Ela ainda lembrou que não dá pra olhar para o futuro esquecendo o passado. “Agora com o museu, espero que resgatem com dignidade a nossa história como artistas travestis e transexuais”, disse, lembrando que a Secretaria de Direitos Humanos se comprometeu em resgatar essa história das travestis e transexuais brasileiras.

[B]Ontem e hoje[/B]
O Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade surgiu em 2001, com o objetivo de lembrar e divulgar pessoas, instituições e os fatos mais significativos no cenário político, social e cultural para a comunidade LGBT, contribuindo na promoção dos direitos humanos. Promovido pela APOGLBT, seu surgimento é concomitante com o de outros dois eventos relacionados à Parada do Orgulho, o Gay Day e a Feira Cultural LGBT, o que culminou na oficialização do calendário do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo.
Este prêmio significa, antes de tudo, o reconhecimento da atuação dos premiados como sendo de alta representatividade na vida de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. É também um importante momento de divulgação e valorização das atividades que contribuíram com o movimento na consolidação do respeito à diversidade, bem como um estímulo às práticas socialmente responsáveis.
Os troféus (no formato de uma mão fazendo o símbolo de positivo, em referência ao logotipo da APOGLBT), desde a primeira versão, foram criados e doados para Associação pelo designer Duílio Ferronato, sendo confeccionados em alumínio fundido nas primeiras versões e em resina colorida nos últimos seis anos.
Até 2008, a cerimônia de entrega dos troféus aos homenageados ocorreu durante a Feira Cultural LGBT, fazendo parte de sua grade de programação. Devido ao reconhecimento do prêmio, para 2009 estuda-se a possibilidade de realizá-lo em data e local diferentes, dando-lhe maior visibilidade dentro do Mês do Orgulho.
A cerimônia de premiação faz parte do calendário de atividades do 16º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo. O conjunto de manifestações e eventos, cujo tema deste ano é “Homofobia tem Cura: Educação e Criminalização”, acontece desde maio, na capital paulista, e inclui a Parada do Orgulho LGBT, o Gay Day, a Feira Cultural LGBT e o Ciclo de Debates (confira datas e locais já confirmados em www.paradasp.org.br), entre outras atividades.


SERVIÇO

16ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo
10 de junho – concentração a partir das 10h, início às 12h
Avenida Paulista e Rua da Consolação