Dramaturgo baiano lança livro com textos e críticas de três espetáculos teatrais

Sem categoria
7 de dezembro de 2012
por Genilson Coutinho

Contribuir para a memória do teatro, apresentando os textos de três montagens do diretor Paulo Atto, além de registrar um pouco das montagens com fotos, fichas técnicas, críticas e reflexões sobre os processos de encenação e elaboração das peças. Este é o principal objetivo do livro “Desmontando Shakespeare”, que será lançado pelo diretor artístico e dramaturgo, Paulo Atto, no dia 11 de dezembro, terça-feira, às 18h30, no Instituto Feminino (Politeama), em Salvador.

Para o autor, a intenção é que o livro sirva como de fonte de inspiração e de pesquisa para outros atores e diretores, grupos e escolas de teatro no Brasil e no exterior. “Desmontando Shakespeare” possui apoio financeiro do Fundo de Cultura, Secretaria de Cultura, Secretaria da Fazenda e Governo do Estado da Bahia, tendo sido vencedor da Demanda Espontânea do Fundo de Cultura de 2011.

Após um processo de produção que durou aproximadamente dois anos, o dramaturgo e diretor artístico Paulo Atto lança o livro que traz detalhes de três montagens: “A Terra de Caliban”, inspirada em “A Tempestade” de W. Shakespeare; “A Herança de Macbeth”, cuja fonte foi “Macbeth” (Shakespeare); e “Antônio e Cleópatra: o desencontro do olhar” baseado no homônimo “Antonio e Cleópatra”, também do autor inglês.

Os textos originais foram o ponto de partida para a criação das obras de Paulo Atto como “projetos de encenação” e aconteceram no Brasil e no exterior, através da Cia Avatar e da Cia Quasar Teatro de Astúrias (Espanha). O lançamento da obra faz parte de um projeto editorial de Paulo Atto, que nos próximos cinco anos irá publicar todo o seu trabalho enquanto diretor e dramaturgo. Este projeto editorial marca o início das comemorações dos 30 anos de carreira artística de Paulo Atto, que serão completados em 2013.

Para aumentar a possibilidade de diálogo com o público leitor, a obra foi montada em duas línguas: português e espanhol. “O sucesso do meu trabalho enquanto diretor veio, sem nenhuma dúvida, do exterior. Foi fora do Brasil que eu tive a recepção mais empolgante ao meu trabalho, com a minha Cia de Teatro Avatar. Muitos dos países em que estivemos são de língua espanhola. Assim, me pareceu natural que o livro pudesse dialogar com estes públicos”, avalia Paulo Atto. Além disso, o diretor conta, ainda, que parte do seu trabalho em pedagogia teatral, ministrando conferências e workshops, foi também realizado no exterior com grupos de teatro, Universidades e Institutos de Arte Cênicas. Assim, a obra poderá ser utilizada por este público.

Sobre as montagens que deram origem ao livro, Paulo conta que criou o roteiro e o texto a partir do original, porém muito mais das ideias do autor e de sua visão sobre o tema, ou o conjunto de temas. O diretor Paulo Atto teve a intenção de que estas montagens falassem destes temas shakespereanos a partir do olhar brasileiro, com a cosmovisão brasileira e latina e com uma relação dialógica com a mitologia iorubá. “O livro mostra que o texto e o contexto das obras nas montagens dos espetáculos vieram a partir de temas contemporâneos e do local onde estamos. Exploramos as nossas impressões sobre o mundo a partir da nossa mitologia, olhar e valores”, analisa Atto.

Para o autor, um livro sempre possibilita novos caminhos a percorrer, novas possibilidades de intercambio e novas respostas. Ainda de acordo com Paulo Atto, o objetivo é que “Desmontando Shakespeare” possa ser o ponto de partida para outros profissionais de teatro pensarem o fenômeno teatral hoje.

Sobre o autor

Paulo Atto é dramaturgo, diretor teatral e produtor cultural, com 30 anos de atuação no meio artístico. Possui formação em filosofia e teatro. Participou de diversos programas sobre interpretação e artes cênicas na Alemanha, Rússia, Espanha, Dinamarca e Portugal. Fundou a Cia de Teatro Avatar em 1987 e, em 2003, associou-se a outros artistas para a criação da Ciacen – Centro Internacional Avatar de Artes, do qual é diretor-presidente. Dirigiu espetáculos no Brasil e no exterior, além de possuir experiência internacional em pedagogia teatral.

Atualmente é coordenador da Câmara Técnica de Cultura do Colegiado Territorial da Chapada Diamantina. Também é curador e diretor artístico de diversos projetos como o Festival de Teatro da Caatinga, Encontro de Arte e Cultura Popular de Irecê e o Circuito Cultural da Chapada Diamantina. É membro fundador da Rede Ibero Americana de Animação Sociocultural, com sede em Salamanca e colaborador da Companhia Abrego Teatro de Santander, ambas na Espanha.

Atto já realizou oficinas e apresentou espetáculos em países como Colômbia, Espanha, Venezuela, México, Rússia, Estados Unidos, Equador, Cuba, Suíça, Itália e Canadá. Recentemente, a respeitada pesquisadora Beatriz J. Rizk cita o diretor no seu livro “Posmodernismo y teatro en América Latina: Teorías y prácticas en el umbral del siglo XXI”, lançado pela Universidade de Minessota e The State of Iberomerican Series/Universidade Nacional Mayor de San Marcos, nos EUA.

 

Serviço

Desmontando Shakespeare – Paulo Atto

Co-edição:  da M12 da Bahia e da editora paulista Terceira Margem, responsável pela distribuição da obra.

324 páginas

Projeto editorial do designer Luciano Robatto.