Donos de pousada são condenados por recusarem hóspedes gays

Redação,
28/11/2013 | 16h11

Os donos de uma pousada em Marazion, no sudoeste da Inglaterra, foram condenados pela Suprema Corte britânica nesta quarta-feira, 27, a pagar uma indenização no valor de 4 mil euros (cerca de R$ 12.400) a um casal gay por terem se recusado a hospedá-lo s.

“Proibir a entrada de hóspedes por religião é algo desproporcional”, declarou a vice-presidente da Suprema Corte, Brenda Hale, que lembrou que os homossexuais “devem desfrutar da mesma liberdade que todos os outros”.

Hazelmary e Peter Bull, proprietários da pousada Chymorvah House, disseram estar “profundamente decepcionados e entristecidos com a sentença”. “Nossa pousada não é só nosso negócio, é nossa casa. Sempre tratamos de atuar de acordo com nossos próprios valores” , alegaram.

Após a denúncia feita por Martyn Hall e seu namorado Steven Preddy, os donos do estabelecimento hoteleiro negaram a discriminação durante um julgamento em 2011 e, após perder essa batalha, recorreram à Corte de Apelação, que reiterou a ordem de indenização, de acordo com a agência EFE.

Não satisfeitos, os donos da pousada que não atenderam ao direito aos dois homossexuais baseados em suas crenças cristãs, levaram o caso a Suprema Corte, que, por sua vez, também não se mostrou a favor.