Dois homossexuais de Uganda são obrigados a se refugiar para poder sobreviver

Sem categoria
23 de dezembro de 2011
por Genilson Coutinho

Eles foram atacados em seu país e colocaram fogo no seu negócio, o que fez com que o casal fugisse para o Quênia como refugiados. Mesmo assim a situação deles ainda é perigosa.

Dois homens ugandenses fugiram para um campo de refugiados no Quênia após a perseguição e as ameaças recebidas em seu país natal por serem gays. Os dois fingem ser irmãos em seu novo país de acolhimento.

Tudo começou quando os dois homens, que são companheiros, foram atacados por grupos homofóbicos, além de serem rejeitadas por suas famílias, tiveram o seu carro e seu restaurante incendiado.

Após o incêndio de seu negócio, eles foram alertados sobre planos que estavam em curso  para assassina-los, por conta disso tomaram a decisão de abandonar o país.

Atualmente, os dois homens vivem em um campo de refugiados do Quênia se passando por irmãos para proteger suas vidas. No entanto, a mentira tem ficado cada dia mais difícil de se manter, e com isso o risco de morte é cada vez mais eminente.

Depois de seis meses no campo de refugiados, os dois homens tem ouvido comentários como:  “aí vem as senhoritas Uganda”.

“A comunidade LGBT é talvez o grupo mais perseguido no mundo”, criticou Grungras Neil, fundador da “Organization for Refuge Asylum & Migration” (Oram), “eles são perseguidos em seus países de origem, no entanto os países vizinhos compartilham os mesmos valores culturais, por isso não há menos probabilidade de serem perseguidos. ”

O Alto Comissário das Nações Unidas (ACNUR), recomendou ao casal fugir do continente, mas a organização não conseguiu sequer dar-lhes asilo em qualquer país da Europa ou América do Norte.

Fonte: Nossos Tons