Divulgado nome da madrinha da 10º Parada Gay da Bahia

Sem categoria
1 de agosto de 2011
por Genilson Coutinho

A Delegada de Polícia Civil Patrícia Nuno foi a escolhida para ostentar a faixa de Madrinha da X Parada Gay da Bahia em 11 de setembro próximo. Ela recebeu o convite feito pela entidade e ficou muito honrada pela indicação. “Felicidade enorme poder me associar a luta contra a intolerância, como fruto do meu trabalho como mulher e delegada”, disse ao aceitar o convite. Essa não é a primeira vez que uma Delgada da Polícia Civil é eleita Madrinha. Em 2009 aDra Isabel Alice recebeu a faixa no trio oficial do GGB no Campo Grande. Essas escolhas são voltadas a valorizar ainda mais o trabalho da Secretaria de Segurança Pública da Bahia de Delegados que ao longo dos anos foram e continuam sendo destaque no trabalho policial; Walter Seixas, Rui da Paz, Lindaiá Mustafá e mais recente Artur Galas. Valorizar também o trabalho dos investigadores e escrivães através dessa homenagem a Delegada Patrícia Nuno que no desempenho de seus trabalhos como autoridade colabora com a causa LGBT, instaurando procedimento para apurar as circunstâncias para a elucidação dos casos de violência anti-homossexual  e a comprovação da materialidade da autoria dos mesmos.

Está no forno a marca da X Parada Gay da Bahia. O tema desse ano é o combate a homofobia, parece ser um tema batido, velho, mas não é não. A homofobia tem sido uma verdadeira praga do século XXI e só com a participação de todos os cidadãos independente de suas orientações, poderemos diminuir o crescimento terrível desse mal que no ano passado matou 260 LGBT em todo o Brasil, um aumento de 113% em relação a 2007. Pelo quinto ano consecutiva, a Bahia liderando esse cruel e vergonhoso ranking: 29 “homocídios” em 2010!

O GGB também pede agilidade na elucidação do assassinato do militante e estudante de Psicologia da Unijorge, Isaac Souza Matos, 24 anos, no bairro Corsário. O jovem foi encontrado morto dentro do apartamento onde morava, no Edifício Galera no dia 11 de Julho. Crime com viés homofobico na opinião do GGB, crime que deixou muitos jovens gays receiosos, ampliando o temor por sua segurança.

Nesse sentido o fundador do GGB Luiz Mott é bem enfático “Todas as pessoas devem entender que o combate a homofobia é a garantia das liberdades conquistadas para todas as pessoas e minorias sociais”, diz o Antropólogo indicando que “ Bahia não rima com homofobia”.

A X Parada do orgulho de gays, lésbicas, travestis e transexuais da Bahia acontece no dia 11 de setembro próximo, segundo domingo do mês. Concentração a partir das 11hs no Campo Grande, Centro de Salvador, apareça e traga todos. Um mundo sem racismo, machismo e homofobia é possível.

Fonte: GGB

Foto: Reprodução