‘Divinas Divas’: documentário sobre travestis conquista prêmio no Festival no Rio

Notícias
17 de outubro de 2016
por Genilson Coutinho

Diva Valeria brilha absoluta no filme

A noite deste domingo (16) foi de Leandra Leal. A atriz, que fez sucesso com sua personagem sensual em “Justiça”, conquistou em sua estreia como diretora dois troféus por “Divinas Divas”: melhor documentário pelo júri popular e o Prêmio Felix, dedicado a escolher os melhores filmes de temática LGBTQ na programação do Festival do Rio, realizado no Centro Cultural Banco do Brasil, no centro da cidade.

Dirigido por Leandra Leal, o filme retrata a trajetória das  artistas pioneiras: Rogéria, Jane Di Castro, Waléria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa, Divina Valeria  e Brigitte de Búzios. Elas foram os primeiros homens que se travestiram de mulher nos palcos cariocas nos anos 1960, quando o Brasil vivia sob rígida ditadura militar.

Confira os vencedores do Festival do Rio 2016:

Première Brasil

MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO – Fala Comigo, de Felipe Sholl

MELHOR DOCUMENTÁRIO – A Luta do Século, de Sérgio Machado

MELHOR CURTA-METRAGEM – O Estacionamento, de William Biagioli

Menção Honrosa curta-metragem – Demônia, um Melodrama em 3 atos, de Fernanda Chicollet e Cainan Baladez

MELHOR DIREÇÃO DE FICÇÃO – Cristiane Oliveira por Mulher do Pai

MELHOR DIREÇÃO DE DOCUMENTÁRIO – Sérgio Oliveira por Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos

Menção Honrosa Direção de Documentário – Marcos Prado, por Curumim

MELHOR ATRIZ – Karine Teles por Fala Comigo

MELHOR ATOR – Nelson Xavier, por Comeback e Julio Andrade por Redemoinho e Sob Pressão

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE – Verónica Perrotta por Mulher do Pai

MELHOR ATOR COADJUVANTE – Stepan Nercessian por Sob Pressão

MELHOR FOTOGRAFIA – Fernando Lockett por Superorquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos e Heloisa Passos por Mulher do Pai

MELHOR MONTAGEM – Marcio Hashimoto por Era o Hotel Cambridge

MELHOR ROTEIRO – Martha Nowill e Charly Braun por Vermelho Russo

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – Redemoinho, de José Luiz Villamarim

Novos Rumos

MELHOR FILME – Então Morri, de Bia Lessa e Dany Roland

MELHOR CURTA – Não me prometa nada, de Eva Randolph

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI – Deixa Na Régua, de Emílio Domingos

 

Júri Popular

 

MELHOR LONGA DE FICÇÃO: Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé

MELHOR DOCUMENTÁRIO: Divinas Divas, de Leandra Leal

MELHOR CURTA: Demônia, um Melodrama em 3 atos de Fernanda Chicollet e Cainan Baladez

Prêmio da crítica Fipresci

Viejo Calavera, de Kiro Russo

Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé

Prêmio Felix

Melhor Longa de Ficção: Rara (Estranha), de Pepa San Martin

Melhor Documentário: Divinas Divas, de Leandra Leal

Prêmio Especial do Júri: Love Snaps, de Daniel Ribeiro e Rafael Lessa