Comportamento

Tem Direito

Diversidade e inclusão promovem ambientes plurais e enriquecem perspectivas de negócios

Genilson Coutinho,
22/10/2021 | 14h10
Foto: Divulgação

Diversidade e inclusão são pautas que ganharam relevância em boa parte das empresas, mas como os conceitos funcionam na prática? A diversidade, voltada para a construção de ambientes plurais, foca em equipes equilibradas formadas por pessoas com diferenças culturais, de identidade e de experiência. Já a inclusão, por definição, é o acolhimento da diversidade, para que todas as pessoas tenham as mesmas oportunidades de crescimento.

Rui Rocheta, head Iberia & Latam do Gi Group, um dos líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho, explica que, apesar do Brasil possuir uma legislação mais avançada do que outros países, ainda está atrás em outras medidas. “O primeiro passo é a consciência de que não somos inclusivos. A empresa tem de olhar para dentro e ver se a estrutura reflete a sociedade e/ou se está de acordo com o que deseja para o futuro. Com isso poderá  definir a suas prioridades e desenhar um plano de trabalho&r dquo;, detalha Rocheta.

Uma pesquisa realizada em 2020 pela McKinsey, com 700 empresas de capital aberto em sete países da América Latina, mostra que companhias que adotam a diversidade são mais saudáveis, felizes e rentáveis. Rocheta defende que, justamente por motivos como esses, as pautas devem ser discutidas no mundo corporativo. “A diversidade e a inclusão são positivas porque permitem trazer visões e sensibilidades distintas e enriquecer as perspectivas do negócio”, explica.

Um número expressivo de clientes do Gi Group está atento às mudanças necessárias na composição dos times. “Temos dados interessantes sobre o tema. Entre 2019 e 2021, 1.271 pessoas foram empregadas com 50 anos ou mais; 26,65% (13.590) dessas pessoas são de etnias negra, parda ou indígena; 22.654 mulheres foram contratadas e 59 refugiados de países como Haiti, Venezuela, Bolívia e Angola conquistaram trabalho”, detalha Rocheta.

Os principais desafios na implementação de projetos de diversidade e inclusão estão na mudança de mentalidade e no preconceito enraizado, não só nas empresas, mas na sociedade em geral. “Para enfrentar essa questão, além da transformação de ideias e conceitos, é importante que o exemplo esteja presente nas lideranças”, explica.

Para o Gi Group, uma empresa de capital humano, ignorar ou excluir milhares de talentos por preconceito é simplesmente má gestão de uma empresa. “As corporações são aquilo que os seus talentos lhes permitem ser, por isso, o olhar atento à diversidade e inclusão é primordial para se manter em crescimento”, finaliza o head Iberia & Latam, Rui Rocheta.

Sobre o Gi Group

Gi Group é um dos líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho, com forte destaque nas atividades de Recrutamento e Seleção, Administração de Temporários, Programas de Estágios, Projetos de Terceirização (BPO – Business Process Outsourcing), Marketing Promocional, Treinamento e Consultoria em Desenvolvimento Organizacional. No início de 2007, o Gi Group começou o seu programa de internacionalização, que o levou a estar hoje presente em 58 países da Europa, América e Ásia. A companhia também é membro corporativo global da WEC – World Employment Confederation . O Gi Group tem faturamento de 2,5 bilhões de euros e atende mais de 20.000 empresas por meio de 650 filiais em todo o mundo e mais de 4.500 funcionários diretos.  No Brasil desde 2008, o Gi Group possui 21 filiais espalhadas por todo o território do País.

Saiba mais em www.gigroup.com.br