Diva Box lança primeiro single autoral intitulado “O vale”; assista

Notícias
10 de novembro de 2018
por Genilson Coutinho

O grupo Diva Box acaba de lançar o single “O Vale”, primeiro trabalho autoral da banda. A música é uma espécie de manifesto que trata sobre o retorno de tempos difíceis para os LGBTQI+. Enaltecendo artistas que fazem parte da comunidade e gritando “ele não”, Fernando Ishiruji, Douglas Oliveira e Gleison Richelle desfilam e dançam pelas ruas do Dois de Julho, num plano sequência divertido, mas em tom de desabafo.

Fernando, que compôs a canção e dirigiu o clipe, conta como foi o processo de criação. “Essa música surgiu depois de ouvir tantos amigos dizendo que queriam ir embora do Brasil’, conta o integrante do Diva Box. Sobre a letra da música, Fernando explica que “apesar de divertida, a crítica é escancarada e nada discreta. A gente quer se mudar pro Vale porque, aqui, querem nos matar. Eu conheço pessoas que estão com medo de sair na rua, que estão olhando para a roupa antes de sair, para não ser alvo, que estão chorando do nada, precisando de apoio”.

Há cinco anos na estrada, a carreira do Diva Box começou com os meninos se apresentando em bares, no formato de voz e volão. Depois, passaram a performar os mashups de divas pop em diversas casas de Salvador. O último espetáculo da banda foi uma homenagem a Cazuza, pelos 60 anos que estaria completando. No show, bases de cantoras como Amy Winehouse e Madonna são mescladas às músicas do poeta.

Agora, o grupo está com uma campanha colaborativa no site Kickante, a fim de arrecadar fundos para a produção do segundo videoclipe. O objetivo é conseguir realizar uma produção mais caprichada para o próximo single. “Gravamos O Vale num canto da casa, escondidos atrás da cama – feita de barreira – para tentar isolar o som da rua. A gente queria muito poder pagar um estúdio e todos os profissionais necessários para produzir a nova faixa em alta qualidade, sabe? A música está muito boa e merece esse cuidado”, revela Douglas.

Além disso, a renda da campanha também será investida em equipe e equipamentos profissionais. “O primeiro clipe foi uma loucura. Juntamos um monte de amigos, pegamos vários equipamentos emprestados e quando chegou no dia de filmar fomos surpreendidos pela chuva”, relembra Gleison. Eles quase desistiram, mas, no dia seguinte, juntaram tudo outra vez e fizeram acontecer, em duas horas de gravação o clipe de 3 minutos. Tudo isto porque, para eles, “o single traz algo que precisa ser dito e tinha que ser neste momento”.

Curiosos para conferir? aperta o play.