Diretor Peter Jackson lança último “O Hobbit” e dá adeus à Terra Média

Cinema
3 de dezembro de 2014
por Genilson Coutinho
Anthony Harvey/Getty Images Peter Jackson e Katie Jackson na estreia mundial de 'O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos", em Londres

Anthony Harvey/Getty Images
Peter Jackson e Katie Jackson na estreia mundial de ‘O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos”, em Londres

Um ciclo de 16 anos na vida do diretor neozelandês Peter Jackson se encerrou na noite de segunda-feira (1º), com a estreia mundial de “O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos” na Leicester Square, região central de Londres. A parte final da trilogia sobre Bilbo Bolseiro é, também, o último de seis filmes que Jackson fez a partir da obra do escritor J. R. R. Tolkien – uma saga que lhe rendeu fama internacional, três Oscar e bilhões de dólares nas bilheterias.

“Agora a responsabilidade acabou. Posso ir para a praia”, brincou Jackson, durante entrevista coletiva sobre “A Batalha dos Cinco Exércitos”, realizada nesta terça-feira (2) na capital britânica.

O filme, que estreia em 11 de dezembro no Brasil, se concentra principalmente no grandioso combate que o título sugere e, como os outros dois longas da trilogia, funciona como um “prequel” de “O Senhor dos Anéis”. O plano inicial de Jackson era filmar primeiro “O Hobbit”, mas problema na aquisição dos direitos da obra fez com que começasse pela saga de Frodo.

Agora, o diretor espera que o público encare os seis filmes como uma única história e os assista seguindo a ordem cronológica da narrativa: primeiro os três “Hobbits” – “Uma Jornada Inesperada” (2012), “A Desolação de Smaug” (2013), e “A Batalha dos Cinco Exércitos” (2014) – e depois os três longas baseados em “O Senhor dos Anéis” – “A Sociedade do Anel” (2001), “As Duas Torres” (2002) e “O Retorno do Rei” (2003).

O diretor ainda tem ao menos um compromisso com o universo da Terra Média: preparar a versão estendida de “A Batalha dos Cinco Exércitos”, que será lançada em DVD e Blu-ray. Aí sim virá o adeus definitivo, que ele parece encarar com tranquilidade. “O que vou sentir falta é da diversão do set”, afirma. “Era um jeito divertido de passar o dia.”