Dia Nacional da Visibilidade Trans é celebrado na próxima segunda (29) em Salvador

Notícias
26 de janeiro de 2018
por Genilson Coutinho

Ranella Campanna_Foto_Jefferson Peixoto/ Secom

Ocupar os espaços de forma igualitária em todos os setores da sociedade. Este é o desejo da transexual Ranella Campanna, 46 anos, para os próximos anos. Ranella é uma das transexuais atendidas pelo Centro de Referência LGBT no Rio Vermelho, vinculado à Prefeitura e que disponibiliza serviços gratuitos como orientações sobre mudança de nome social, além de promover uma série de debates e eventos para abordar temáticas que permeiam a vida deste público em Salvador. Ranella utiliza, atualmente, o serviço jurídico oferecido pelo centro para mudança de nome social.
O Dia Nacional da Visibilidade Trans será celebrado na próxima segunda-feira (29), e Ranella espera que as demandas deste público sejam cada vez mais atendidas e respeitadas. “Precisamos tirar a imagem negativa que as pessoas antigamente tinham sobre nós e fortalecer a mudança do nosso nome civil”, destacou a transexual. Mesmo com avanços em diversos setores sociais, ainda há relatos de discriminação sofridos por transexuais ao apresentarem documentos como carteira de identidade ou cartão de crédito com nome ou sexo oposto ao declarado no atendimento pelo cidadão.
Para Ranella, a conquista por todos os direitos civis, de fato, perpassa pelo reconhecimento da identidade de cada indivíduo. “A mudança do nome social nos livra de constrangimentos, nos abre mais portas e oportunidades. É importante que a gente consiga diminuir essa burocracia. É um beneficio que nos traz conforto e segurança, nos torna livres para procurar um emprego, estudar, buscar por formação. Assim vamos sofrer menos constrangimento”, concluiu, relembrando como o público era excluído e marginalizado nas décadas de 70 e 80.
Serviços – O Centro de Referência LGBT de Salvador, localizado no Rio Vermelho, presta serviços como acolhimento, atenção psicológica e social, orientação e encaminhamento jurídico em casos que envolvam violência contra gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. Desde a inauguração, o espaço registrou 1.890 atendimentos dos mais variados serviços. Também é realizado um trabalho de inserção do cidadão no mercado de trabalho, de forma a expurgar estigmas e proporcionar a inclusão do LGBT na sociedade, com cursos de capacitação e orientação voltada à geração de renda e formação empreendedora.
O centro ainda conta com uma equipe multidisciplinar, composta por advogados, psicólogos, assistentes sociais, e suporte técnico e administrativo. A estrutura física possui recepção, salas de administração, salão multiuso, espaço para realização de atividades do Comitê de Promoção e Defesa do Direito das Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais de Salvador, copa e almoxarifado, além dos sanitários masculinos e femininos, com os devidos padrões de acessibilidade.