Dia Mundial de Luta contra a AIDS é celebrado em Salvador; veja as fotos

AIDS em pauta, Notícias
1 de dezembro de 2016
por Genilson Coutinho

Além da conscientização sobre a importância da prevenção ao vírus da HIV, a sessão especial realizada na manhã desta quinta-feira (1º) pregou o fim do preconceito contra as pessoas que têm a doença. Adolescentes do Colégio Estadual Anísio Teixeira, do bairro de Caixa d’Água, tiveram a oportunidade de acompanhar o debate no plenário da Casa Legislativa no Dia Mundial de Luta contra a AIDS.

Questões relacionadas à vulnerabilidade ao HIV/AIDS, sob o ponto de vista do estigma e do preconceito, foram detalhadas. Os jovens foram encarados como ‘peças fundamentais’ para o processo de conscientização, principalmente por causa da maior incidência da doença entre as pessoas até 24 anos, de acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab).

A vereadora Vânia Galvão (PT), propositora da sessão especial, além da importância da prevenção, alertou para as consequências da vulnerabilidade social no tratamento da doença.
“A luta contra a AIDS deve ser de todos nós. Não podemos nos esquivar sobre o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para este grupo. Um dos fatores que levam ao abandono do tratamento é a dificuldade de locomoção para os serviços especializados. A pobreza é um dos motivos que desencadeia o abandono e a desistência no uso da medicação”, pontuou Vânia.

Coordenador do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV, Javier Angonoa/ Foto: Genilosn Coutinho

Falando para os jovens, o coordenador do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV, Javier Angonoa, acredita que muito da banalização do sexo sem camisinha se deve às letras das canções atuais.  “Tem uma que se chama ‘Pele na Pele’. Isso só é bom se for feito com cuidado e prevenção. Não é brincadeira”, alertou.

Estatísticas

Dados sobre a incidência do HIV na Bahia foram apresentados pela diretora do Centro Estadual Especializado em Diagnóstico, Assistência e Pesquisa da Sesab, Miralba Carvalho, e pela diretora do Hospital Couto Maia, Ceuci Nunes.
De acordo com a Sesab, existe um aumento progressivo no número de atendimentos médicos, que variam de 850 a 1.100 por mês. No entanto, a característica dos atendimentos tem mudado. Em média são registrados em hospitais baianos de 12 a 16 casos por turno já estágio bem avançado.
Entre os pacientes atendidos no Hospital Couto Maia, a maioria mora na capital baiana. “Cerca de 80% são de Salvador, 10% do interior e 10% da Região Metropolitana”, relatou Ceuci Nunes.

Origem do Dia Mundial

Estudantes marcaram presença na sessão/ Foto: Genilson Coutinho

O Dia Mundial de Luta contra a AIDS foi criado pela Organização Mundial da Saúde com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), em assembleia realizada em outubro de 1987. O Ministério da Saúde começou a promover campanhas de apoio ao Dia Internacional de Luta contra a AIDS desde 1988.

Na sessão especial, Vânia Galvão destacou “a representatividade técnica” dos componentes da mesa, formada por além dos já citados Javier Angonoa, Ceuci Nues e Miralba Carvalho, também pela sanitarista da Secretaria Municipal da Saúde, Gerusa Morais; a coordenadora do Grupo de Apoio e Prevenção à AIDS, Rosa Marinho; o coordenador da Rede Nacional de Pessoas com HIV/AIDS, Moisés Tourinho; o coordenador do Instituto Beneficente Conceição Macêdo, padre Alfredo Dórea; e o ativista do Movimento de Luta contra a AIDS, Vinícius Santos.

A vereadora eleita Marta Rodrigues (PT) marcou presença na sessão, que contou a apresentações musicais do Coral do Ministério Público da Bahia, sob a regência da maestrina Natanira Gonçalves.

Veja mais fotos!