Dia do Orgulho LGBT: Saiba como lidar com a descoberta da sexualidade das crianças

Notícias
28 de junho de 2017
por Genilson Coutinho

A curiosidade é inata em qualquer criança. Logo cedo, perguntas e atitudes embaraçosas, deixam os pais “constrangidos” por não saberem como lidar com isso. São reações naturais e tudo isso faz parte do desenvolvimento saudável da criança. A psicóloga do Hapvida, Sarah Lopes, fala sobre o descobrimento da sexualidade na infância e como os pais podem apoiar e ajudar os filhos nesse momento de descoberta, sobretudo, no que tange à sua orientação sexual.   

Como os pais podem ajudar os filhos na fase de descobrimento da sexualidade?

Primeiramente, é importante ressaltar que a descoberta da sexualidade passa por várias fases. Desde a descoberta da estrutura corporal, a criança já entra em contato com a sua sexualidade, percebendo as diferenças entre o corpo masculino e feminino, o que, naturalmente, já gera alguns questionamentos. O ideal ainda é falar a verdade dentro do que a criança conseguirá compreender, de acordo com cada idade. Muitas vezes, quando deixamos as crianças sozinhas por alguns momentos é possível perceber que algumas delas estão olhando a genitália uns dos outros e se escondem quando são notadas. Os pais podem ajudar, primeiramente, não vendo essas questões como algo malicioso. As crianças são curiosas. Ao perceber que a criança está querendo descobrir algo, o ideal é perguntar o que ela quer saber e responder tudo. Não deixar sem resposta para nada, obedecendo o que cada uma poderá compreender.

 Em que idade geralmente as crianças começam a fazer perguntas sobre a sexualidade?

As crianças podem começar a fazer essas perguntas por volta dos 3 anos de idade, quando a curiosidade é mais instigada pelas diferenças físicas entre o pai e a mãe ou entre os irmãos e coleguinhas. O primeiro questionamento geralmente é: “Porque eu não tenho “piu-piu”? ou “Onde está o “piu-piu” dela?”. As diferenças anatômicas surgiram e devem ser respondidas dentro do que os pais podem responder. Ao responder questões para as crianças menores, evitem falar sobre pecado ou que é proibido ou que faz mal, o ideal é trazer para questões higiênicas, de que ninguém pode pegar porque vai machucar ou vai sujar, por se tratar de regiões realmente sensíveis.

Como os pais podem ajudar seu filho quando ele se identifica com o gênero oposto? O que fazer? Como ajudar?

Essa identificação geralmente ocorre na fase da adolescência. É possível que algumas crianças apresentem já desde mais cedo algumas preferências ligadas ao gênero oposto, porém, isso pode não significar muita coisa. No momento em que os pais percebam algo, por volta dos 13 ou 14 nos, a melhor forma de ajudar é deixar claro que o adolescente será aceito independentemente de sua condição sexual. Isto poderá fazer com que o adolescente se sinta mais à vontade para conversar com os pais sobre suas dúvidas e seus medos. Muito melhor é quando os pais compreendem. Neste momento, os adolescentes estão confusos com as mudanças corporais, pedagógicas, emocionais e hormonais.

 Como os hormônios interferem nas mudanças?

Os hormônios possuem um papel muito intenso nessas mudanças. Alguns adolescentes podem ficar mais ansiosos, mais impulsivos, mudanças corporais como a voz grossa ou até mesmo o surgimento de pelos faciais e pubianos geram um amadurecimento emocional, fazendo com que estes percebam que estão iniciando a fase adulta, com isso, a necessidade de independência e de querer ser ouvido.

Por que é prejudicial os pais abandonarem o filho, caso descubram que ele é transgênero, gay, lésbica ou bissexual?

É prejudicial o abandono em qualquer que seja a condição de qualquer criança ou adolescente. Entretanto, quando falamos em algo que está fora da escolha, os filhos precisam se fortalecer com o apoio dos mais próximos. Muitos pais abandonam os filhos com a intenção de fazer com que o adolescente mude de ideia, mas, não é escolha. Não existe algo que justifique alguém tomar a “escolha” mais difícil. Então, isto é uma condição.

 Qual a importância da aceitação dos pais?

A partir do momento que os pais compreendem e aceitam a condição de seu (sua) filho(a), a vida de ambos se torna mais fácil, não só do adolescente. Será mais fácil orientar, conversar, falar também de seus medos de forma mais aberta. Para o adolescente, essa aceitação se torna praticamente definitiva para a sua felicidade, levando em consideração que tudo o que fazemos é muito melhor quando temos a aprovação de nossos pais.