Dia da Visibilidade Trans encerra a programação nesta sexta-feira (30), em Salvador

Cinema, Comportamento, Social, Teatro
30 de janeiro de 2015
por Genilson Coutinho
Paulette Furacão

Paulette Furacão

Dois dias dedicados ao universo trans, suas nuances e peculiaridades. Com esta proposta acontece em Salvador, nos dias 29 e 30 de janeiro, a segunda edição do evento Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências, para celebrar o Dia Nacional da Visibilidade Travesti e Trans, comemorado no dia 29/01. Realizado pela Obá Cacauê Produções, através do edital Arte Todo Dia, da Fundação Gregório de Matos – Prefeitura Municipal de Salvador, o evento traz debates, pockets-show, performances, mostra de filmes, videoclipe e teatro, para abordar, por meio da arte, o tema Visibilidade contra a Discriminação. A programação ocorre no Cine-teatro Solar Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas, sempre das 19h às 22h. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público.

Na abertura do evento uma mesa de debates trará o tema Visibilidade Trans e a Zero Discriminação, com participação do consultor do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), Javier Angonoa; da educadora social da Instituição Beneficente Conceição Macedo (IBCM), Ariane Senna; e do ator e codiretor do espetáculo Dama da Noite (SP), Luiz Fernando Almeida. No dia 30, Ações Visíveis para o Público Trans será discutido por Paulette Furacão, coordenadora do Núcleo de Defesa dos Direitos da População LGBT da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado; Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB); e João Figuer, ator e diretor teatral.

Teatro – Também está na programação o premiado espetáculo paulista Dama da Noite, com atuação e codireção de Luiz Fernando Almeida e direção de André Leahun. A peça estreia em Salvador durante o Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências – Ano II e é baseada num texto homônimo do escritor Caio Fernando Abreu (1948- 1996). Dama da Noite é um monólogo que traz a história de uma mulher da noite que resolve trocar a vida noturna pelo dia e sofre por se sentir excluída do mundo. A personagem é cercada de angústias e aflições. A proximidade entre ator e público permite que ele converse e interaja com os espectadores durante todo o tempo de espetáculo.

Histórico – O Dia Nacional da Visibilidade Trans surgiu em 29 de janeiro de 2004, durante o lançamento da Campanha Nacional “Travesti e Respeito”, do Ministério da Saúde. Nesse dia, representantes da Articulação Nacional de Travestis e Transexuais – Antra entraram no Congresso Nacional, em Brasília, para tornar a campanha conhecida nacionalmente. Naquele momento, as 52 organizações afiliadas à Antra, em todo o país, foram convidadas a sair às ruas para comemorar a data e reivindicar seus direitos.

Serviço

O Que: Da Alegria, do Mar e de Outras Consciências – Ano II

Quando: 29 e 30 de janeiro, das 19h às 22h

Onde: Cine-teatro Solar Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas

Entrada gratuita

 

Confira a programação:

 

Dia 29/01 (quinta-feira)

19h – Pocket “O Desaparecimento de Kiki Flag”, com João Figuer e Herbert Silva.

19h30 – Mostra audiovisual:

  • Setaro’s Gay (BA), 5’. Direção: João Caçapava, em homenagem ao professor e crítico de cinema André Setaro
  • Videoclipe Chupa Essa Uva – If I Were a Boy (BA), 6’. Direção: Silverino Ojú;
  • Dama da Noite (SP), 10’34’’. Direção: Dino Menezes

20h – Debate: Visibilidade Trans e a Zero Discriminação

  • Javier Angonoa – Consultor do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids- UNAIDS;
  • Ariane Senna – Educadora Social na Instituição Beneficiente Conceição Macedo na empresa IBCM;
  • Luiz Fernando Almeida – Ator e codiretor do espetáculo Dama da Noite.

20h30 – Espetáculo “Trans em Construção” (1h20’). Autoria e direção João Figuer.

Dia 30/01 (sexta-feira)

19h – Pocket “Las Hijas del Tomate” (BA). Performance de dublagem com Herbert Silva, Nei Duarte, Omar Leoni

19h30 – Mostra Audiovisual:

  • Documentário Atrás dos Olhos (BA), 20′. Direção: Fábio Fernandes e André Araújo.
  • Videoclipe Teste do Sofá, de Solange Tô Aberta (BA), 3’40’’. Direção: Gabriela Almeida e Alexandre Guena.

20h – Debate: Ações visíveis para o público Trans

  • Paulette Furacão – coordenadora do Núcleo de Defesa dos Direitos da População LGBT da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos do Estado;
  • Marcelo Cerqueira – Presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB);
  • João Figuer – Ator e diretor do espetáculo Trans em Construção.

20h30 – Peça Dama de Noite (SP), 1h. Direção: Andre Leahun, com Luiz Fernando Almeida.