Dia da Visibilidade Lésbica será de protesto em Salvador

Sem categoria
29 de agosto de 2012
por Genilson Coutinho


O Dia da Visibilidade Lésbica celebrado nesta quarta-feira (29), será marcado por protestos e reivindicações, a partir das17h em frente a Câmara de Vereadores de Salvador, local marcado para um grande apitaço e com um pedido de criminalização a homofobia.

Durante o ato será lembrado o duplo assassinato das jovens em Camaçari, ocorrida no último final de semana, no qual mulheres foram vítimas de homofobia.

Após a manifestação, será distribuída uma carta a população, além disso, a comunidade lésbica participará de uma sessão solene na Câmara, às 19h. Além de Salvador, as manifestações também acontecerão nas cidade de Lauro de Freitas, Cachoeira e Conceição do Coité.
Confira a carta na integra

CARTA ABERTA
CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA JÁ!!!!

No dia 25 de agosto de 2012, a Bahia se comoveu e se indignou com as notícias veiculadas nos jornais locais sobre o assassinato de um casal de jovens lésbicas negras no município de Camaçari; Laís Fernanda dos Santos, 25 anos, atingida por dois tiros no tórax e mais um na cabeça e Maira Dias de Jesus, 22 anos, que recebeu um tiro na cabeça, enquanto andavam de mãos dadas expressando o amor entre iguais, morreram no local. Segundo investigação preliminar do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os tiros teriam partido de um único atirador.

De acordo com o Mapa da Violência 2012 – Homicídio de Mulheres[1] – nos 30 anos decorridos entre 1980 e 2010 foram assassinadas no país mais de 92 mil mulheres, 43,7 mil só na última década. Os dados de homicídios de mulheres no Brasil revelam o feminicídio praticado pela sociedade, isto é, revelam a matança de mulheres em função do seu sexo em meio a formas de dominação, exercício de poder e controle sobre as mulheres. A mesma fonte indica que a Bahia apresenta o sexto maior índice da taxa de homicídio feminino.

A violência impetrada contra as mulheres negras, brancas e de todas as etnias, tem múltiplas faces. Uma delas é a lesbofobia, que tem sido invisibilizada, tanto pela classe e gênero como pela raça. Os dados da homofobia na Bahia e no Brasil indicam que é preciso que toda a sociedade esteja atenta para impedir que a lógica (re)produtora da homofobia continue matando lésbicas, gays, travestis e transexuais. É preciso desestabilizar o processo de invisibilização e violência contra homossexuais femininos e masculinos. É preciso criminalizar a homofobia.

De acordo com os dados do Grupo Gay da Bahia[2], 109 lésbicas foram assassinadas de 1983 a 2012, uma média de 4,5 assassinatos por ano. Possivelmente este número maior. Só em 2012 foram 13 assassinatos. Nunca antes na história deste país foram assassinadas tantas lésbicas como em 2012, e o ano ainda não terminou!

Reconhecendo o assassinato das jovens como crime homofóbico, nós, movimentos LGBT, universidades e demais protagonistas do “Mês da Visibilidade Lésbica na Bahia”, exigimos que o Estado Baiano e Brasileiro tomem as providências imediatas para investigar os fatos, proteger e garantir a vida das lésbicas, gays, bissexuais , travestis, transexuais. Exigimos políticas públicas para a comunidade LGBT. Exigimos a publicação do plano Bahia sem Homofobia! Exigimos aprovação da PL 122 já!!!! Homofobia mata, destrói famílias e toda sociedade