Dez mulheres trans que você precisa conhecer

Notícias
29 de janeiro de 2019
por Genilson Coutinho

Nesta terça (29), comemoramos mais um Dia da Visibilidade Trans, data importantíssima para dar voz a mulheres e homens trans e travestis. Com celebrações em vários estados, através de diversas ações de visibilidade e resistência, a data é especialmente importante no Braisl, país onde mais se mata transexuais e travestis no mundo.

Dia da Visibilidade Trans tem programação especial no DF

Caminhada marca Dia da Visibilidade Trans no Recife

Esse momento é mais que oportuno para falar das mulheres guerreiras do nosso estado, que lutam diariamente para ocupar espaços. Por isso o Dois Terços presta uma homenagem a elas: personalidades que se multiplicam em defesa da causa, e fazem a causa se multiplicar.

Prefeitura de Camaçari realiza evento em homenagem ao Dia da Visibilidade Trans

Para celebrar esta data, vamos apresentar 10 mulheres que você não pode deixar se conhecer:

Keila Simpson – presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra).

Paulett Furacão – educadora social, poetisa, primeira transexual a ocupar um cargo no Governo do Estado da Bahia, apresentadora do Programa Close de Favela da 87.9 FM.

Ariane Senna – psicóloga, mestranda em Estudos Étnicos e Africanos no Centro de Estudos Afro Orientais- CEAO/UFBA, secretária de Juventude da Associação Nacional de Travestis e Transexuais- ANTRA.

Tanucha Taylor – maquiadora, cabeleira e estrela da arte transformista há 30 anos.

Millena Passos – diretora LGBT da UNEGRO Bahia, diretora da Una LGBT, coordenadora do gênero feminino do GGB, diretora da Rede Brasil Trans, primeira trans a ocupar um cargo em  uma Secretaria de Mulher no Brasil e assessora técnica da Secretaria de Mulheres do Governo do Estado da Bahia.

Millena Passo

Tuka Perez – primeira assessora parlamentar trans da Câmara dos Vereadores de Salvador, integrante da União das Paradas de Salvador e do Fórum TT para  Travesti e Transexuais da Bahia; presidente do grupo LGBTT Linha de Frente, de Pernambués, em Salvador.

Beatrice Fonseca Imperial – jornalista por formação, mestranda em Cultura e Identidade pela UFBA. Atualmente, atua na assessoria de imprensa da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e é uma das estrelas da arte transformista na capital baiana.

Bia Imperial, primeira assessora de imprensa trans da Funceb (Foto: Evandro Veiga/CORREIO

Alana Rocha – primeira jornalista a comandar um programa policial na TV baiana.

Thiffany Odara – pedagoga pela UNEB, primeira travesti a formar neste curso na instituição, especialista o em Gênero, Raça, Sexualidade e Etnia (DIADORIM/UNEB), educadora social e redutora de danos do Centro de Promoção e Defesa dos direitos LGBT Ba. Ativista do movimento negro de mulheres e LGBT.

Marina Garlen (in memórian) – Foi a voz de muitxs, ao longo da sua trajetória de luta pela visibilidade da população trans. Sua historia vive no movimento e serve de incentivo cada vez maior para as novas gerações.

Sabemos que é uma lista pequena para a grandiosidade dessa comunidade, mas certamente são nomes que representam com muita dignidade a luta que travam hoje, certamente travarão amanhã e em todos os demais dias do ano, todos os anos de suas vidas. A elas o nosso apoio e a nossa homenagem.

Marina nos deixou no dia 31 de janeiro de 2016 – Ela estava em São Paulo representado a Bahia nas comemorações. do Dia da Visibilidade Trans

Dia Nacional da Visibilidade Trans

29 de Janeiro é o Dia Nacional da Visibilidade Trans. A data surgiu em 2004, após a ida de travestis e transexuais ao Congresso Nacional para falar aos parlamentares brasileiros sobre a realidade em que viviam.