Deputado quer aprovar lei que permite a religiosos criticarem gays

Comportamento, Social
2 de janeiro de 2015
por Genilson Coutinho

louco

Eleito deputado federal pelo Mato Grosso, o professor e pastor Victório Galli (PSC) quer aprovar, em 2015, o PL 4.500/2012, que permite a líderes religiosos criticarem a orientação sexual das pessoas.

O projeto de lei já foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e pode ir à votação.

O texto propõe que se acrescente ao decreto-lei 2.848, de dezembro de 1940, um inciso que preveja a liberdade de “manifestação de crença religiosa, em qualquer modalidade, acerca da sexualidade”, argumentando que as doutrinas religiosas não podem ser cerceadas e que não se pode considerar “injúria ou difamação a manifestação de crença religiosa acerca de questões envolvendo a sexualidade, tendo em vista os ensinamentos doutrinários decorrentes de textos religiosos adotados pelas diversas profissões de fé”.

“O projeto dá o direito ao pastor, ao padre, ao líder religioso questionar a questão da sexualidade”, disse Galli ao portal G1. “Hoje, com esse movimento LGBT, eles estão querendo se blindar. Você pode falar mal hoje da presidente Dilma, do deputado, do governador, do prefeito, do vereador, você pode falar mal do padre, do pastor, falar que o tesoureiro da igreja é ladrão, e não acontece nada. Mas, se falar mal de um gay, de um grupo LGBT, é preso. Eles querem isso”.