Daniela e Malu Mercury abrem XII Seminário LGBT do Congresso Nacional em Brasília

Comportamento, Social
20 de maio de 2015
por Genilson Coutinho
Daniela Mercury e Malu Verçosa se   beijam na Câmara dos Deputados (Foto: Reprodução Facebook  Jean Wyllys)

Daniela Mercury e Malu Verçosa se
beijam na Câmara dos Deputados (Foto: Reprodução Facebook Jean Wyllys)

Daniel Arruda Martins
De Brasília /Especial Dois Terços
O Hino Nacional foi entoado pela cantora baiana Daniela Mercury junto a todas as cerca de 200 pessoas presentes ao auditório da Câmara num momento de grande emoção que marcou a abertura da 12ª edição do evento.
Na sequência, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) deu início aos trabalhos na manhã desta quarta-feira (20), de maio, analisando o atual contexto político nacional no qual se verifica a disseminação de discursos de ódio contra a população LGBT e contra o reconhecimento de seus direitos, tanto nas mídias digitais quanto nas relações analógicas, no dia a dia. O deputado apresentando a “empatia” como estratégia para se contrapor, no campo dos afetos, à dinâmica do ódio que tomou conta da política. Reconhecer a legitimidade das diferenças e colocar-se no lugar do outro para a abertura ao diálogo e para a superação do ódio são os pontos centrais desta proposta.
A deputada Érika Kokay (PT-DF) deu seguimento aos debates questionando a irracionalidade do ódio e do medo que parte da população manifesta diante das expressões de amor e afeto entre pessoas do mesmo sexo. Ao questionar o que seria “o medo desses beijos, desses simples beijos” Daniela e Malu Mercury, que já compunham a mesa de autoridades, se beijaram, causando grande comoção no plenário.
Outros deputados como Chico Alencar (PSOL-RJ) e Mara Gabrilli (PSDB-SP) manifestaram seu apoio ao seminário e à luta pela garantia dos direitos LGBT e em prol da equidade de gênero, inclusive relacionando com outras pautas, como a inclusão de pessoas com deficiência, destacada pela Deputada. Jorge Chediek, representante da ONU no Brasil também manifestou seu apoio à causa.
O casal Rogério Koscheck e Weykman Padinho contaram um pouco da decisão corajosa e generosa que tomaram, quando decidiram que recorreriam à adoção de quatro irmãos, com idades entre sete meses e 11 anos, três deles, com HIV, para formar sua família.
As convidadas especiais Daniela e Malu Mercury também se posicionaram politicamente enquanto casal homoafetivo. Defenderam a empatia e o amor para a transformação social. Valeram-se de situações concretas da vida das duas, do relacionamento entre elas e com as filhas e também da infância de Daniela em uma casa por onde transitavam e conviviam pessoas com diversos vínculos de afeto familiar para falar das inúmeras formas de ser família. Daniela ainda lembrou momentos de sua vida como artista e embaixadora da UNICEF em que ela se colocou em defesa dos direitos humanos e contra a violência e a discriminação. Apontou como incoerentes aqueles que tentam se valer da Bíblia e do cristianismo, sejam católicos ou evangélicos, para disseminar o ódio e a violência. “A mensagem da Bíblia é o amor! O resto não me interessa!” A cantora utilizou trechos de diversas músicas ao longo de sua fala, transformando refrões em argumentos em defesa dos direitos LGBT, como “qualquer maneira de amor vale a pena! Qualquer maneira de amor, vale amar.” E ainda motivando os deputados e militantes para a luta, mesmo diante de tanto ódio e violência, inclusive dentro da Câmara dos Deputados e no Senado, com “Apesar de você, amanhã há de ser… Outro dia!”
Os debates seguem pela tarde de quarta-feita e ao longo de toda a quinta-feira, abordando os discursos de ódio disseminados pela web, a diversidade sexual e os discursos religiosos, a agressão pela injúria e pela difamação e o respeito à diferença.
Alguns dos conceitos chave propostos pela organização do seminário, como “tolerância” e “empatia”, tem gerado acalorados debates nas redes sociais também entre acadêmicos e militantes favoráveis aos direitos LGBT. Para alguns, tais conceitos contribuiriam pouco para o avanço político ou para a compreensão do fenômeno da homofobia na sociedade.
“Esta edição do seminário tem como objetivo criar um ambiente político para discutir a inércia do poder público no enfrentamento do ódio em suas diferentes expressões, o que inclui os assassinatos de indivíduos LGBT, mas também a onda de linchamento contra adolescentes infratores, entre outros crimes de natureza semelhantemente baseados no preconceito”, resume o deputado federal Jean Wyllys (PSOL/RJ), coordenador-geral do evento.
Você pode acompanhar os debates ao vivo pela internet neste link.

Daniel Arruda Martins
Mestre em psicologia social e consultor em direitos humanos e educação / @danielarrudabr no instagram)
Confira a programação do último dia:
21 DE MAIO, QUINTA-FEIRA

Mesa 2 – 10:00 horas
– “Ódio na carne” – A agressão além do verbo/A expressão letal da injúria e difamação.

Mediador: Deputado Jean Wyllys (PSol/RJ)

– Márcia Tiburi – Filósofa, professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, Arte e História da Cultura da Universidade Mackenzie, e professora convidada da Fundação Dom Cabral.

– Fábio Meirelles – Coordenador geral de Direitos Humanos do Ministério da Educação

– Luma de Andrade – Professora e doutora em Educação. Em sua pesquisa analisou as experiências e resistências de jovens travestis no espaço escolar.

– Irina Bacci – Diretora do Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República
*PAUSA PARA ALMOÇO – 12:00 às 14:00 horas
Mesa 3 – 14:00 horas
– “Mais amor, por favor!” – Tolerância, respeito e diferenças.

Mediadora: Deputada Erika Kokay (PT/DF)

– Viviane Mosé – Poetisa, filósofa, psicóloga e psicanalista. Mestre e doutora em filosofia pelo Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

– Maria Clara Araújo – Ativista do transfeminismo. Estudante de pedagogia da Universidade Federal de Pernambuco.

– Ana Lodi – Membro da Associação Brasileira de Famílias Homoafetivas e personagem do vídeo da campanha #nossafamiliaexiste
PROGRAMAÇÃO CULTURAL

– Apresentação do grupo teatral “Grupo Cantigas Boleráveis” – Quarta feira, 21, às 21h no Teatro dos Bancários (314/315 Sul).

– Exposição “#AHomofobiaé”. Artistas e celebridades completam a frase “a homofobia é” para combater a intolerância contra a comunidade LGBT – Dias 20 e 21, no auditório Nereu Ramos.

FICHA

O QUÊ: 12º Seminário LGBT do Congresso Nacional: “Nossa vida d@s outr@s – Empatia: a verdadeira revolução”.
QUANDO: Dias 20 e 21 de maio de 2015, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.
INFORMAÇÕES: (61) 3215-5646.