CUS promove o II Curso sobre Introdução á Teoria e Politica Queer

Sem categoria
19 de dezembro de 2011
por Genilson Coutinho

O grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade (CUS), da Universidade Federal da Bahia, promoverá, de 23 a 27 de janeiro de 2012 (das 18h30 às 22h30), a segunda edição do curso de extensão Introdução à teoria e política queer. O curso será ministrado gratuitamente no campus de Ondina por professores e estudantes que integram o CUS, fundado em 2008 junto ao Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (CULT).

Qualquer pessoa interessada nas discussões sobre sexualidades, gêneros, culturas e políticas poderá se inscrever para as 30 vagas oferecidas pelo grupo. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo e-mailcursoteoriaqueer@gmail.com (informar nome completo, telefone para contato, filiação institucional (caso tiver) e texto de até cinco linhas dizendo por que deseja realizar o curso).

As inscrições estarão abertas até 08 de janeiro de 2011. A lista dos selecionados, que terão direito a certificado expedido pela UFBA, será divulgada dia 16 de janeiro. Mais informações sobre o curso serão divulgadas no site www.cult.ufba.br/cus

O grupo Cus é coordenado pelo professor Leandro Colling, do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos e do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade. Colling é também presidente da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (Abeh) e integra o Conselho Nacional LGBT.

CURSO: INTRODUÇÃO À TEORIA E POLÍTICA QUEER

PERÍODO: 23 a 27 de janeiro de 2012 (das 18h30 às 22h30)

LOCAL: UFBA – CAMPUS DE ONDINA (sala a confirmar)

REALIZAÇÃO: GRUPO CULTURA E SEXUALIDADE (CUS) / CENTRO DE

ESTUDOS MULTIDISCIPLINARES EM CULTURA (CULT) E INSTITUTO DE

HUMANIDADES, ARTES E CIÊNCIAS PROFESSOR MILTON SANTOS (IHAC).

COODENAÇÃO: PROFESSORES LEANDRO COLLING E DJALMA THURLER

EQUIPE:

Dr. Leandro Colling (professor adjunto do IHAC)

Dr. Djalma Thürler (professor adjunto do IHAC)

Ms. Patrícia Conceição (mestre em Cultura e Sociedade)

Ms.Tess Chamusca Pirajá (mestre em Cultura e Sociedade)

Gilmaro Nogueira (mestrando em Cultura e Sociedade)

Cíntia Guedes (mestranda em Cultura e Sociedade)

Matheus Araújo Santos (mestrando em Comunicação)

Rafael Aragão (mestrando em Cultura e Sociedade)

Júlio Cesar Sanches (Jornalista)

Tiago Sant’ana (Jornalista)

(OBS: todos integram o CUS)

 

PROPOSTA:

O curso Introdução à Teoria e Política Queer pretende fornecer elementos teóricos e reflexão para repensar os modelos de política hegemônicos no Brasil na esfera dos movimentos sociais organizados em torno de demandas de reconhecimento de sexualidades não-normativas. Partirá de uma exposição sobre a experiência social da injúria para explicitar a fonte social e histórica que embasa a origem do queer como política e teoria. No âmbito da experiência, sublinha o caráter desestabilizador do estranho, do que transgride as normas de gênero e como a teoria se baseou nele para refletir de forma mais sofisticada sobre o fazer política dentro do contexto contemporâneo.

Ao mesmo tempo em que essas reflexões forem discutidas, serão apresentados estudos de caso realizados pelos pesquisadores do grupo de pesquisa em Cultura e Sexualidade, em especial estudos sobre como os gêneros e as sexualidades são representados nos meios de comunicação.

A heteronormatividade será explicada e analisada como a ordem sexual (e de gênero) contemporânea, a qual não pode ser reduzida à heterossexualidade compulsória, mas também às normas dominantes no universo homossexual do presente. Em outras palavras, a heteronormatividade está – também – dentro da cultura gay hegemônica e se manifesta nas prescrições de comportamento normalizado propagadas pela mídia e pelo mercado, assim como por parte do movimento social que adota uma perspectiva neoliberal subserviente às identidades, em sua definição de demandas de reconhecimento a partir dos modelos já dados que se consolidam em diálogos com poucas críticas com o Estado.

A proposta do curso é recuperar uma literatura pouco conhecida no Brasil e associá-la a uma reflexão nova, crítica e transformadora sobre o fazer político. Diante dos desafios de uma nova ordem do poder, a partir de uma inspiração foucaultiana, pretende contribuir para a proposta de transformar a experiência social dos humilhados e ofendidos, dos qualificados de estranhos em seu próprio mundo, em um articulador político de demandas não-subservientes de reconhecimento.

A reflexão política caminhará em direção à possibilidade de sua rearticulação em novos termos, os quais não se resumem a uma política pós-identitária, antes em uma estratégia de desestabilização dos modelos estabelecidos em benefícios de demandas silenciadas dentro do próprio movimento e que não têm tido espaço suficiente para modificar os termos da relação entre sociedade e Estado. Dentre estas demandas “silenciadas” destacamos as que colocam em xeque o binário hetero/homo e a normalização de gênero impetrada pela forma como, ainda, a maioria do movimento LGBT concebe suas demandas e ações.

EMENTA GERAL:

O que é queer? / A heteronormatividade / Desejo e transgressão das normas de gênero / Experiência da injúria: a descoberta da abjeção / Abjeção, desejo e estranhamento social / Confronto com a heteronormatividade / transgressão de gênero / além dos binários / o queer e as identidades

Da abjeção à política / a bifurcação identidades estabelecidas X queer / do

conservadorismo homo à pluralidade queer / reconhecendo as normas do binário hetero x homo: gênero e controle social / As práticas sexuais e o queer / Teoria e Política Queer / Queer como perspectiva não-identitária, anti-neoliberal e focada na desestabilização do hegemônico (da transgressão de gênero ao desfazer o gênero).

PROGRAMAÇÃO

Dia 23 – O surgimento da teoria queer, conceitos básicos, impactos nos estudos de gênero, sexualidade e no movimento social LGBT. O contexto de surgimento dos estudos queer e a relação com os estudos feministas e os estudos gays e lésbicos.  As relações entre teoria e política queer – Leandro Colling.

Dia 24 – O que é a heteronormatividade e como ela funciona. A mídia ensinando a ser heterossexual nos meios de comunicação (telenovelas, minisséries e revistas). A representação midiática, a manutenção dos binarismos de gênero e a produção da abjeção. Analítica da diferença: como criticar os produtos culturais a partir da teoria queer e lutar por outras formas de representação. Patrícia Conceição, Tess Chamusca Pirajá.  (Heteronormatividade)

Dia 25 – Cultura queer, visibilidade das abjeções: Abjeção e discursos patologizantes dos corpos. Expressões culturais, formatos e temáticas queer. Arte na margem: como queer a partir da arte. Política e sensibilidade. Cíntia Guedes e Matheus Santos. (Abjeção)

Dia 26 – As práticas sexuais e a teoria queer. Desconstrução da pretensa linha continua sexo – gênero – desejo – prática sexual. A formação do sujeito na psicanálise e os processos de subjetivação. As práticas sexuais no Brasil, o sexo “biológico” e os papéis sexuais. As práticas sexuais e os discursos sociais como produtores de sentido para as práticas cotidianas. – Gilmaro Nogueira e Júlio Cesar Sanches (Subjetividades)

Dia 28 – Masculinidades. A construção das Masculinidades. Masculinidades enquanto discursos. Expressões de masculinidades na arte. Masculinidades sem corpos de homens. Djalma Thürler e Rafael Aragão. (Masculinidades)

Dia 27 – Corpos trans e as reconfigurações identitárias. Identidade como unidade fictícia. O “universo trans”. O modo como as pessoas trans experimentam os seus corpos e o ativismo trans. Representações midiáticas e construção do universo trans, subjetividades trans e explosão da origem binária. Tiago Santana e Tess Chamusca. (Identidade e feminilidades).

PÚBLICO-ALVO

Comunidade em geral interessada na temática do curso.

INSCRIÇÕES:

Através do e-mail cursoteoriaqueer@gmail.com – Informar nome completo, telefone para contato, filiação institucional (caso tiver) e texto de até cinco linhas sobre por que deseja realizar o curso. As inscrições devem ser realizadas de até 08 de janeiro de 2012 e são gratuitas.

VAGAS:

30 vagas, que serão preenchidas mediante avaliação da ficha de inscrição.

INFORMAÇÕES:

Através do site  ou pelo e-mail cursoteoriaqueer@gmail.com