Curadora do Festival de Sundance seleciona Depois da Chuva em programa de fomento ao cinema brasileiro

Sem categoria
11 de setembro de 2013
por Genilson Coutinho

A curadora do Festival de Sundance, Sharia Frilot, assistirá o longa-metragem Depois da Chuva no programa “Encontros com o Cinema Brasileiro”, realizado pela Ancine (Agência Nacional do Cinema) e o Ministério das Relações Exteriores. Dirigido por Cláudio Marques e Marília Hughes, o filme é uma das oito produções selecionadas por Sharia mediante avaliação de material enviado pelas produtoras dos 55 filmes inscritos. De acordo com a Ancine, a curadora demonstrou interesse especial “por filmes de estreia na direção de longas de ficção”, caso de Depois da Chuva.

Os filmes selecionados serão exibidos em sessões fechadas entre os dias 17 e 19 de setembro, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. Outros três filmes foram indicados pelo programa Cinema do Brasil e também serão assistidos por Sharia. “Sundance anda fechado para o cinema nacional. Nos últimos anos, poucos filmes brasileiros foram exibidos por lá”, diz Cláudio Marques, reiterando a importância da iniciativa.

A expectativa da organização do “Encontros com o Cinema Brasileiro” é trazer ainda curadores dos festivais de Berlim, Roterdã e do Bafici de Buenos Aires para conhecer a recente produção cinematográfica brasileira. “O projeto é muito bom, pois exibe em boas condições os filmes da nova geração para os curadores dos principais festivais dos EUA e Europa”, acrescenta o codiretor de Depois da Chuva.

Ambientado em 1984, quando o país foi às ruas pedindo eleições diretas para presidência da República (Diretas Já), “Depois da Chuva” é o primeiro longa-metragem da produtora baiana Coisa de Cinema, que tem seis curtas que acumulam 39 premiações e 150 exibições em mostras e festivais.  De inspiração autobiográfica, o roteiro de Cláudio Marques traz Caio, um adolescente de espírito libertário que vive seu despertar político e amoroso no momento em que a população brasileira experimenta a euforia do término da ditadura e a esperança de assumir as rédeas do país.

Exibido “work in progress” nos festivais de Cannes e de Cinema Independente de Buenos Aires (Bafici), o filme realiza sua estreia no Festival de Brasília, onde compete na categoria longa-metragem de ficção. A exibição acontece no dia 19 de setembro, às 21h, no Cine Brasília, que este ano volta a sediar o evento. “Depois da Chuva” foi viabilizado pelo edital de Baixo Orçamento do Ministério da Cultura (R$ 1,2 milhões) e do governo do Estado da Bahia (R$ 200 mil) e filmado durante cinco semanas entre junho e julho de 2012.

Foto  Agnes Cajaíba