Criança viada ou de como me disseram que eu era gay segue em cartaz celebrando mês da diversidade

No Circuito, Teatro
21 de setembro de 2018
por Genilson Coutinho

Foto: divulgação

Em sua terceira temporada e celebrando o mês da diversidade, o espetáculo ‘Criança viada ou de como me disseram que eu era gay’ segue em cartaz na programação do ‘Setembro é Gayboa’, no Teatro Gamboa Nova, sempre às sextas-feiras e sábados, às 19h, com entradas custando R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Os ingressos para o primeiro solo do ator Vinicius Bustani podem ser adquiridos no www.sympla.com.br/criancaviada ou na bilheteria do teatro, nos dias das apresentações. O espetáculo tem classificação indicativa livre a partir dos 14 anos.

Com relatos autobiográficos e cenas de ficção, a peça foi escrita pelo próprio Vinicius usando sua história com humor para mostrar as dificuldades que viveu como LGBT desde a infância, passando pela adolescência e chegando na idade adulta. “A gente precisa falar sobre isso e fazer uma revisão de nossos hábitos para não continuar criando gerações de crianças solitárias, confusas, com sensação de isolamento e falta de lugar no mundo”, reflete.

Para trazer isso ao palco Vinicius contou com a parceria da diretora e dramaturga Paula Lice. “Acredito que para falar sobre um tema tão complexo como sexualidade é fundamental arriscar um mergulho em sua própria experiência nua e crua”, pontua Paula. Arte e educação Criança viada ou de como me disseram que eu era gay acaba de realizar um ciclo de apresentações seguidas de debates na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública (EBMSP). O espetáculo foi visto por cerca de 1.200 pessoas em 15 apresentações que tiveram a participação de alunos, professores e colaboradores da instituição, bem como a presença de estudantes do Colégio Estadual Francisco da Conceição Menezes, vizinho da EBMSP no Cabula.

“Estamos muito felizes, sabíamos o que ia surgir desse encontro, humanizar, personalizar, singularizar, dar corpo, alma e coração às pessoas que vivem suas angústias, às que não vivem e aquelas que angustiam outros. Para nós é um presente, só temos a agradecer”, comenta  Luiza Ribeiro, pedagoga e Coordenadora de Desenvolvimento de Pessoas da EBMSP. Serviço: Criança viada ou de como me disseram que eu era gay no Setembro é Gayboa Quando: 21, 22, 28 e 29 de setembro (sextas e sábados) às 19h Onde: Teatro Gamboa Nova (R. Gamboa de Cima, 3 – Largo dos Aflitos) Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia) Classificação indicativa: 14 anos