Constrangimento: funcionário chama transexual por nome civil em unidade de saúde de Salvador

Comportamento, Social
5 de setembro de 2016
por Genilson Coutinho

Foto: Genilson Coutinho

Um caso de constrangimento atingiu a transexual militante da causa LGBT Paulett Furacão na manhã desta segunda-feira (5). A situação ocorreu na Unidade de Pronto Atendimento da Saúde Dr. Hélio Machado, no bairro de Itapuã, aqui na capital baiana.

De acordo com Paullett, o atendimento que pareceu respeitoso na recepção mostrou sua face preconceituosa e discriminatória mais adiante, quando um dos funcionários criou uma situação de constrangimento ao chama-la pelo nome civil, mesmo ela tendo preenchido a ficha com seu nome social.

Ficha de atendimento fotografada por Paulett

“Ele chamou meu nome civil umas quatro vezes e não fui. Ao me dirigir para ao serviço de triagem, vi que meu nome social havia sido rasurado na ficha. Questionei a assistente social se ela tinha rasurado meu nome, a mesma disse que não tinha sido ela, então  solicitei a minha ficha e ela falou que só o médico poderia me dar a ficha, mas na sala da médica que me atendeu, ela me tratou pelo meu nome social. Então solicitei a ficha e fotografei”, conta Paulett.

A vítima afirma ainda ter tentado falar com o diretor, mas recebeu “não” como respostas do mesmo funcionário que a chamou pelo nome civil. A suspeita é de que esse mesmo funcionário tenha sido autor da rasura na ficha.

Paulett encaminhou a denúncia ao centro Municipal de Referência  LGBT para as devidas providências junto à Secretaria Municipal de Saúde. A secretaria Ivete Sacramento entrou em contato com Furacão e sinalizou que iniciou as apurações do caso junto com a secretaria da saúde.

Vale lembrar que o direito ao uso do nome social nos serviços de saúde é garantido pela portaria 1.820 de 13 de agosto de 2009.