Conheça Renata Silva, única mulher na equipe de segurança de boate gay de Salvador

Comportamento, Social
24 de abril de 2017
por Genilson Coutinho

Registro do trabalho dela nas redes sociais

“Quem não conhece Renatona?”. Com essa pergunta que Renata Silva, segurança  da Amsterdam Pop Club, inicia o papo com a equipe do Dois Terços. Pois bem, ela está há 5 anos trabalhando nas festas da Amsterdam, no Centro da cidade. E neste período, uma grande relação de carinho e respeito foi construída com os clientes da casa.

Com todo esse carinho que recebe, “Renatona” se diz realizada com o trabalho. “Isso aqui é minha terapia, pois receber esses jovens é sempre motivo de alegria. Eles entendem que estou aqui pra cuidar da segurança deles e isso já é um ganho. Já recebi aqui mães quem vêm acompanhar o filho, para saber como é, e quando encontram uma mulher na segurança ficam mais tranquilas e vão pra casa”, conta.

É claro que o tema preconceito para uma mulher que atua como segurança não pode passar batido. Sobre isso, Renata conta que buscou conquistar seu espaço aos poucos. “Para os homens ainda não é fácil aceitar uma mulher e lésbica em um ambiente que sempre foi dominado por eles. São outros tempos. Faço o meu trabalho com respeito e amor e acredito que isso ajudou muito”.

Uma pausa para diversão

E com essa energia e simpatia que, chova ou faça sol, lá está Renatona, entre uma revista e outra, sempre com um sorriso estampado no rosto. Segundo o DJ Berg Benoni, é impressionante como ela conhece todos os cliente pelos nomes e recebe tanto carinho. “Eu sou suspeito para falar de Renatona, pois minha admiração é enorme. Amo suas brincadeiras, sua companhia e amizade. Quando ama, ela ama mesmo, uma pessoa clara, conversadeira e competente demais. Tem gente que fala do seu jeito ‘duro’, mas é só postura da profissão mesmo, porque tem um coração lindo, é compreensiva e uma pessoa muito justa”, declarou.

DJ Berg Benoni e Renata

O jornalista Rafael dos Anjos concorda com o DJ. “Renata é aquele exemplo que desmistifica a imagem da mulher frágil, que não poderia ocupar funções tidas como exclusivas dos homens. Como segurança, além de exercer bem seu papel, ela é amistosa e querida pelos clientes”.

 

  • Tais Funes

    hazou, viada!! extourada na Bahia! amamos vc!