Comunidade LGBT ganha Fórum Nacional de Gestores e Gestoras pró LGBT

Sem categoria
22 de junho de 2011
por Genilson Coutinho

Gestores públicos se reuniram na última segunda feira (20)  na Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, para fundar o Fórum Nacional de Gestores e Gestoras Governamentais de Políticas Públicas para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais e aprovar o regimento interno dessa nova organização.

Composto por representantes de órgãos governamentais pró lgbts de cidades e estados brasileiros, o Fórum Nacional de Gestores e Gestoras, o FONGES-LGBT, tem como principais objetivos a formulação de diretrizes básicas para subsidiar o aprimoramento das políticas públicas para a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e o posicionamento em favor dos interesses de municípios, estados e do Distrito Federal na execução de políticas específicas. Coordenada por Leonardo Bastos, gestor de políticas públicas para a diversidade sexual do Mato Grosso do Sul, a reunião de fundação e aprovação do regimento interno do Fórum de Gestores e Gestoras LGBT contou com a participação de representantes dos Estados do Pará, São Paulo, Paraíba, Rio Grande do Sul, Ceará e das cidades de Fortaleza, São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Goiânia e Santo André, no ABC paulista.

Confira os objetivos do Fórum :

–  Contribuir para a definição e formulação de diretrizes básicas para subsidiar o aprimoramento das políticas públicas para a população homossexual;

–  Defender e posicionar-se em favor dos interesses de municípios, estados e do Distrito Federal na execução de políticas específicas;

–  Fortalecer a participação dos municípios, estados e do Distrito Federal na definição e implantação de ações governamentais para a população LGBT, como política pública estatal na perspectiva de garantia dos direitos;

–  Promover o intercâmbio de experiências e ações que facilitem a operacionalização da política para a população LGBT, respeitando as diversidades regionais;

–  Articular ações junto aos poderes executivos e legislativos para ampliação de recursos financeiros que viabilizem políticas para o público homossexual;

–  Contribuir com as demais políticas públicas para a integração e aperfeiçoamento da política para a população LGBT;

–  Participar das instâncias de pactuação, discussão e de deliberação da política públicas;

–  Propor estudos e pesquisas que contribuam para o aperfeiçoamento da política para a população LGBT.

Foto: Reprodução