Coca-Cola é criticada por proibir palavra “gay” em site

Redação,
27/01/2014 | 23h01

A Coca-Cola lançou um site na África do Sul que permite a criação de latinhas personalizadas com diversos nomes. Além disso, é possível escrever, por exemplo, as palavras “hétero”, “homofóbico”, “fascista”, entre outras. Já o termo “gay” está, aparentemente, proibido.

Se o internauta tentar criar uma latinha com a palavra “gay”, receberá uma mensagem de erro: “Oops. Vamos fingir que você não digitou isso. Por favor, tente outro nome”.

Em protesto, internautas estão divulgando latinhas com termos contra a Coca-Cola. “Vergonha olímpica”, mostra uma das criações, já que a marca é patrocinadora oficial dos Jogos de Inverno de Sochi, na Rússia. Aliás, o apoio da marca ao evento não é visto com bons olhos por grande parte dos manifestantes.

Até mesmo uma campanha clássica da Coca-Cola – a “Hilltop”, de 1971 – ganhou uma paródia com militantes sendo repreendidos pela polícia russa.

Até o momento, a marca ainda não se pronunciou.

Vale como alerta para os patrocinadores da Copa no Brasil? Poderemos ter um cenário parecido em junho? Comente.

Assista ao vidéo da paródia:

Do Adnews