Cineclube Animassa exibe curtas-metragens produzidos no Irã e na França

Cinema, No Circuito
8 de junho de 2016
por Genilson Coutinho

8 balles, curta produzido na França

O Cineclube Animassa chega à sua 13ª edição neste sábado (11), às 17h, na RV Cultura e Arte no bairro Rio Vermelho, Salvador. Esta sessão apresentará uma seleção de sete curtas animados, produzidos entre 2008 e 2014 em países como Irã e França, além dos filmes brasileiros que completam a programação. Com objetivo de ampliar a exibição de filmes de animação para o público baiano, contribuindo para a formação de plateia para esse segmento audiovisual, o cineclube tem entrada gratuita e ainda oferece bate-papos especiais com os realizadores. A iniciativa é parte de uma programação voltada para artes gráficas realizada pela RV Cultura e Arte e é apoiada pelo Fundo de Cultura da Bahia, mecanismo de fomento à cultura gerido pelas secretarias de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e da Fazenda (Sefaz).

Já foram exibidos no projeto filmes como Guida (dir. Rosana Urbes) curta vencedor do prêmio Jean-Luc Xiberras, dado ao melhor primeiro filme do festival de Annecy 2015, Linear (dir. Amir Admoni) vencedor do Prêmio Carlos Saldanha de Melhor Curta-Metragem Brasileiro no festival Anima Mundi em 2012, e Dossiê Rê Bordosa (dir. Cesar Cabral) curta ganhador dos prêmios de roteiro e montagem do 36º Festival de Gramado. O cineclube recebeu ainda os realizadores Maria Carolina, Igor Souza, José Araripe, Emerson Almeida e Nara Normande para conservas sobre suas criações e o mundo da animação.

Serviço:

Cineclube Animassa – Sessão #13

Quando: 11 de junho, às 17h

Onde: RV Cultura e Arte (Av. Cardeal da Silva 158, Rio Vermelho)

Entrada gratuita (sujeita a lotação da sala)

Filmes desta edição:

Graffiti Dança

RODRIGO EBA!

São Paulo | 2013 | 6′

Na São Paulo do século XXI, personagens de graffiti dançam uma canção dos anos 1950. Curta metragem feito com elementos de arte urbana espalhados pela metrópole brasileira de onze milhões de habitantes, como uma forma de chamar atenção ao processo de animação e ao próprio espaço urbano.

O Gigante

Julio Vanzeler e Luis da Matta Almeida

Santa Catarina | 2012 | 10′

Um Gigante transporta no seu coração uma menina que é a sua filha. O seu coração é aberto para que caiba toda a ternura que ele tem para lhe dar. A realidade é conhecida através daquilo que o Gigante oferece a sua filha, e através das cópias das cópias que ele faz das realidades que ele desenha. Mas um dia chega o tempo da menina partir e ver a realidade por si.  Ela também quer traças os seus caminhos. A menina parte e como em todas as partidas há um rasto de melancolia e tristeza no ar, mas ao mesmo tempo esperança. O Gigante transforma-se no mundo sobre o qual a menina vai viver. Quando reaparece a menina tem um coração aberto por onde espreita agora uma criança ávida de futuro.

Moby Dick

Alessandro Corrêa

São Paulo | 2011 | 8′

O velho capitão de um pequeno navio segue em busca de sua amada.

Mobios

Carlos Eduardo Nogueira

São Paulo | 2014 | 14’45”

scrotum machina ad aeternum.

The Belief

Amir Vahedi

Irã | 2014 | 2’10”

O inimigo atacou o país e a guerra começou. Um par de botas de soldados estava sendo calçado por um homem invisível. As botas de preparam para ir à luta contra o inimigo, mas quando veem fragmentos de outras botas no campo de batalha se recusaram a ir em frente. O homem tira as botas e se apresenta no front lutando com o inimigo.

8 Balles

Frank Ternier

França | 2014 | 12’30”

Meu nome é Gabriel e eu moro em Taipei. Perdi minha esposa durante um ataque. Um homem ruivo veio à mim, ele cheirava a peixe frito. Ele tinha uma arma e atirou na minha família. Desde então eu me sinto vazio,como se tivesse um buraco na minha cabeça.

For Sock’s Sake

Carlo Vogele

França/Estados Unidos | 2008 | 4’46”

Uma meia escapa do varal para ir para balada.