Christina Aguilera libera um dos seus melhores projetos

Música, No Circuito
26 de junho de 2018
por Fábio Rocha

Quanto tempo pode levar até um artista reencontrar a conexão perdida com sua arte? Para Christina Aguilera, a resposta é seis longos anos, que serviram para trilhar o caminho e finalmente se entregar exclusivamente ao que a tornou uma das maiores Divas da música mundial.

Christina Maria Aguilera, ou simplesmente Xtina, lançou dia 15 de junho ‘Liberation’, seu primeiro álbum de inéditas deste o rejeitado ‘Lotus’ (2012). Para quem esperava um projeto voltado aos charts, vale o spoiler de que não é isso que será encontrado nas 15 faixas (algumas apenas introduções). O que Aguilera divide com o público é puramente uma experiência musical das mais consistentes de sua carreira de quase 20 anos. Vocais fortes impressionam junto com letras do mesmo calibre, a exemplo de “Maria”, com sample dos Jacksons 5, e “Fall In Line”, uma grandiosa parceria com Demi Lovato. A jornada conta ainda com flertes a vertentes como Rock, Reggae e Hip Hop, mas o R&B é certamente a maior influência encontrada.

O fato do ‘Liberation’ ser algo mais pessoal e autônomo, já que Aguilera abriu mão do apoio promocional da sua gravadora, a RCA, para fazer o que realmente tinha vontade, talvez seja o motivo de não ser o projeto com um grande número de faixas feitas sob medida para as rádios. A mais atrativa para tal feito, “Fall In Line”, até o momento não atingiu grandes feitos, o que podemos considerar uma das maiores injustiças do ano. Mesmo assim, não tira o brilho da obra entregue, que facilmente se junta a ‘Stripped’ (2002) e ‘Back To Basics’ (2006) como os melhores da “rebelde” artista.
Há erros em ‘Liberation’? A resposta vai depender do que você procura e, se prestar muita atenção nos detalhes e no que a artista quer passar para o público, dificilmente a resposta vai ser “sim”. Talvez, algumas faixas soem menos atrativas, como “Masochist” e “Accelerate”, mas que você se acostuma após escutar algumas vezes.

Por fim, o que temos a fazer é agradecer Christina Aguilera por finalmente deixar a cadeira do “The Voice” e nos honrar com sua voz por inteiro, inclusive com uma turnê mundial que está perto de começar. Com o ‘Liberation’ fora do forno, é hora de aguardar os bons frutos que ele tem a oferecer, dentre ele até alguns Grammys, se ainda houver justiça na premiação.

(Por Robson Cobain – Radialista, estudante de Design e apaixonado por música, moda, TV e cinema. Instagram @robsoncobain e @musicaemais / Twitter @brcobain)