Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT promove ações no mês da Visibilidade Trans em salvador

Comportamento, Social
21 de janeiro de 2015
por Genilson Coutinho

tran

O Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT comemora o Dia Nacional da Visibilidade Trans em parceria com o Núcleo LGBT da Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social do estado da Bahia com uma série de atividades alusivas a essa data,

Essa data é comemorada em todo o Brasil, pois foi no dia 29 de janeiro de 2004 que um grupo de travestis e transexuais ativistas de todo o Brasil entraram no Congresso Nacional para fazer o lançamento de uma campanha nacional idealizada e construído em parceria entre a Associação Nacional de Travestis e Transexuais, ANTRA  e Ministério da Saúde, através do então Programa Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais.

A Campanha “Travesti e Respeito”. Já está na hora dos dois serem vistos juntos:  “Em casa, na boate, na escola, no trabalho na vida” . Ela vinha trazer uma mensagem de que era necessário respeitar essa população independente de onde se estivesse ou sobre qual ótica se via essa população.

No ano seguinte em 2005 a Associação Nacional de Travestis e Transexuais, através da sua presidente Keila Simpson, declara esse dia como o “Dia Nacional da Visibilidade Trans”. Uma data que deveria ser comemorada por todas as associações que fossem afiliadas a ANTRA em todo o Brasil.

Já nesse mesmo ano as redes nacionais a exemplo da ABGLT também celebraram parceria para essas atividades a fim de ampliar as ações pelo Brasil afora, outras instituições governamentais também realizaram ações para dar visibilidade a essa população nesse dia.

A partir dai cada instituição de Trans do Brasil, além das redes nacionais LGBT, e instituições governamentais e agencias internacional (PNUD) comemoram essa data.

Em Salvador as atividades tiveram inicio na ultima segunda-feira (19), com a abertura da exposição: Trans Visíveis e Invisíveis, essa é uma mostra autoral, pois fora feito com as imagens obtidas das próprias Trans através das suas imagens de redes sociais.

Elas mostram as visibilidades de uma população ainda invisível e quer trazer a tona essas invisibilidades e mostrar que existe sim beleza, glamour e sensibilidade nessa população que a sociedade enxerga apenas na prostituição.

As outras duas são releituras de exposição já feita na cidade, uma é de Carol Barreto  “Registros de um redesenho mútuo” que vem trazer a reflexão da fragilidade dessas vidas, por isso as imagens são feitas impressas em papel oficio com visual desgastado.

Marianne Grebber uma fotografa austríaca fez um trabalho em 2006 na cidade com as Trans e publicou um livro intitulado “Sou Glamour” ela vem mostrar que ainda existe glamour nessas vidas, ainda que muitas pessoas vejam apenas o lado marginal. www.mariannegreber.at

Para encerrar as comemorações pelo Dia Nacional da Visibilidade Trans no dia 04 de fevereiro no Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT haverá uma roda de diálogos entre a população de travestis e transexuais com a presença de gestores de políticas públicas do estado da Bahia e da prefeitura  de Salvador. Um dos objetivos do encontro e debater o uso de espaço para comunidade trans falar sobre diversos temas com os gestores governamentais

Para fechar o encontro atividades artistas estão programadas..