Cena do filme Orações Para Bobby viraliza nas redes após liminar de juiz; assista

Notícias
25 de setembro de 2017
por Genilson Coutinho

A liminar do juiz federal Waldemar de Carvalho do Distrito Federal que abriu precedente para que profissionais da área de psicologia possam realizar sessões de reorientação sexual continua rendendo debates nas redes sociais.

Com a discussão de uma suposta “cura gay” em pauta, uma cena comovente do filme “Orações Para Bobby” (2009), repercutiu e compartilhada centenas de vezes entre os internautas. Na cena, a mãe de Bobby, interpretada por Sigourney Weaver, discursa ao parlamento que decidia sobre direitos da população LGBTQ, sobre os pais amarem e aceitarem seus filhos como são, após seu filho, Bobby, cometer suicídio por não suportar a rejeição e o desprezo da família.

Considerado uma das melhores produções do gênero, o longa conta a história real de Mary Griffith, jovem nascido numa família extremamente religiosa, que se vê atormentado após se descobrir homossexual. Ao revelar para a família sua orientação sexual, os pais acreditam tratar-se de um desvio de conduta que pode ser “curado” com muita oração e fé em Deus.

Bobby chega a ir morar com uma prima, entretanto, ele não consegue lidar com a rejeição da família, entra em depressão e comete suicídio.

Confira abaixo o discurso da mãe de Bobby:
“Homossexualidade é um pecado. Homossexuais estão condenados a passar a eternidade no inferno. Se quisessem mudar, poderiam ser curados de seus hábitos malignos. Se desviassem da tentação, poderiam ser normais de novo. Se eles ao menos tentassem e tentassem de novo em caso de falha. Isso foi o que eu disse ao meu filho, Bobby, quando descobri que ele era gay.
Quando ele me disse que era homossexual, meu mundo caiu. Eu fiz tudo que pude para curá-lo de sua doença. Há oito meses, meu filho pulou de uma ponte e se matou. Eu me arrependo amargamente de minha falta de conhecimento sobre gays e lésbicas. Percebo que tudo o que me ensinaram e disseram era odioso e desumano. Se eu tivesse investigado além do que me disseram, se eu tivesse simplesmente ouvido meu filho quando ele abriu o coração para mim. eu não estaria aqui hoje, com vocês, plenamente arrependida.
Eu acredito que Deus foi presenteado com o espírito gentil e amável do Bobby. Perante deus, gentileza e amor é tudo. Eu não sabia que, cada vez que eu repetia condenação eterna aos gays. cada vez que eu me referia ao Bobby como doente e pervertido e perigoso às nossas crianças. sua auto-estima e seu valor próprio estavam sendo destruídos. E finalmente seu espírito se quebrou alem de qualquer conserto. Não era desejo de Deus que o Bobby debruçasse sobre o corrimão de um viaduto e pulasse diretamente no caminho de um caminhão de dezoito rodas que o matou instantaneamente. A morte do Bobby foi resultado direto da ignorância e do medo de seus pais quanto à palavra “gay”.
Ele queria ser escritor. Suas esperanças e seus sonhos não deveriam ser tomados dele, mas se foram. Há crianças como Bobby presentes nas suas reuniões. Sem que vocês saibam, elas estarão ouvindo enquanto vocês ecoam ‘amém’. E isso logo silenciará as preces delas. Suas preces para Deus por entendimento e aceitação e pelo amor de vocês. Mas o seu ódio e medo e ignorância da palavra ‘gay’ silenciarão essas preces. Então. Antes de ecoar ‘Amém’ na sua casa e no lugar de adoração, pensem. Pensem e lembrem-se. Uma criança está ouvindo.”
Assista :